Projeto Bom de Bola, Bom na Escola atende mais de 300 crianças em Santo Antônio do Monte

Projeto Bom de Bola, Bom na Escola atende mais de 300 crianças em Santo Antônio do Monte

O projeto Bom de Bola, Bom na Escola existe há 1 ano em Santo Antônio do Monte e é liderado pelo funcionário público Wantuil Ferreira de Paula. “O projeto visa ajudar crianças que não têm condições de pagar para fazer parte de uma escolinha de futebol.  Em S. A. do Monte existem outras escolas onde é cobrado uma taxa mensal para treinar.  Então,  eu o meu amigo Carlos Eduardo Lacerda, o Cacá, há um ano em meio atrás resolvemos montar esse projeto. Como sou diretor do Flamengo Esporte Clube, tivemos essa abertura e o apoio”, afirmou.

Atualmente o projeto funciona nas dependências do Campo do Flamengo e conta com mais de 300 crianças cadastradas entre 6 e 16 anos, porém, se necessário, o projeto atende crianças entre 4 e 5 anos também. “Trabalhamos com o Serviço de Convivência também e atendemos mais de 300 crianças, tanto do sexo masculino quanto feminino”, destacou.

Netwise

Ferreira ainda frisou que o esporte ajuda a criança a se desenvolver. “Eles amam o projeto e com isso aprendem a se socializar. Aprendem também que é necessário ter a responsabilidade de estar em dia com os estudos, na verdade para continuar isso é obrigatório. O projeto avalia o comportamento social, familiar e escolar”, afirmou.

O projeto visa ajudar as crianças que realmente necessitam. “Muitas vezes o aluno está indo mal na escola e a gente vai procurar saber o motivo. Aí descobrimos que muitas vezes o problema está em casa. Então o projeto tem o objetivo de dar um auxílio, tanto para eles quanto para a família”, disse.

De acordo com Wantuil, o projeto é cadastrado no setor de Assistência Social da Prefeitura de S. A. do Monte. “O projeto é legalizado, e quando precisamos temos a abertura de encaminhar as crianças e a família para o psicólogo. A escola hoje é considerada de utilidade pública municipal.  Se a prefeitura quiser ajudar com qualquer tipo de verba, o projeto já está apto para receber. Temos compromissos a serem cumpridos, e o recurso financeiro é a maior  dificuldade que enfrentamos. A parceria com a prefeitura seria imprescindível para o projeto”, afirmou.

Para o professor de Educação Física, Wellinton Washington dos Santos, as crianças são preparadas para o futuro. “Aqui, preparamos as crianças para serem cidadãos, pais de família e um bom profissional. O esporte tem o poder de demonstrar para eles a importância da socialização. Nós temos os meios para ajudar esses alunos e eles entenderam o nosso propósito. A mudança no comportamento deles é visível desde que entraram para o projeto. O meu objetivo é fazer este projeto ser referência”, afirmou.

Santos ainda destacou a importância do voluntariado para o projeto. “Nós temos um voluntário especial, que é o Marcos Vinícius, filho do Colosso da Copasa, que está conosco há 12 anos. Ele tem metodologia de trabalho e os alunos gostam dele, mas ainda não está formado. O Wantuil está correndo atrás disso pra gente ter mais um profissional formado. As crianças são loucas com ele e não podemos perdê-lo. Eu me emociono com a ajuda dele”, frisou.

Fotos: Maurício Costa

Depoimentos de pais de alunos que são atendidos pelo projeto

Fuvio e Benício (2)

O projeto é muito importante, meu filho insistiu bastante para participar dele. Ele tem 5 anos e adora estar aqui. (Fúvio Camargos é Auxiliar Administrativo, e Pai de Benício).

 

 

 

Stéphanie e Kauã (2)O projeto é muito bom, incentiva os meninos a levarem a escola a sério , aprendem a se socializar  e a buscar um caminho melhor para o futuro. Ele adora e chega a contar os dias para estar aqui jogando. Desde quando ele entrou para o projeto e viu que precisava estar bem na escola para estar aqui, melhorou demais. Só tenho a agradecer a oportunidade que estão dando para os nossos filhos. (Stéphanie Facirolli, autônoma, mãe de Kauã)

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄