COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Vivemos um momento em que o que está na moda é ser feliz.  Tristeza, angústia e sentimentos parecidos não têm lugar neste novo cenário. É preciso estar sempre bem, ou pelo menos parecer estar. A ideia da felicidade é motor que nos impulsiona a viver. O problema surge quando não aceitamos os sentimentos que nos desagradam e por isso passamos a evitá-los. Gostaríamos, mas na verdade, nem sempre estamos tão bem quanto dizemos estar.

Para lidar com tais sentimentos e sensações costumamos construir algumas estratégias. Evitamos falar e pensar neles. Presenteamos-nos ou fazemos algo de que gostamos para nos sentirmos melhor. Desviamos nossa atenção para evitarmos o desconforto de sofrer. Se a curto prazo essas estratégias funcionam, a longo prazo podem gerar outros problemas. Algumas pessoas, por exemplo, desenvolvem o hábito de irem às compras sempre que se sentem tristes ou ansiosas. Como consequência encontram novos problemas, dessa vez financeiros.

Continua depois da publicidade.

É importante reconhecer que ninguém consegue ser feliz o tempo todo, que os sentimentos de tristeza são tão normais quanto os de felicidade. Aceitar e olhar para aquilo que nos incomoda permite que nos conheçamos melhor. É uma chance de entrarmos em contato com as causas que se relacionam a esses sentimentos e entendê-los. Podemos assim construir novas oportunidades de mudanças, ou simplesmente, novas maneiras de compreender a mesma situação.

Para saber mais sobre o assunto envie um e-mail para [email protected]  ou visite minha página no Facebook. É só procurar por Luciene Psicóloga que você vai encontrar.

Psicóloga Luciene Morais

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp