Abates de frangos e suínos e produção de ovos de galinha batem recordes no 3º trimestre

Abates de frangos e suínos e produção de ovos de galinha batem recordes no 3º trimestre

No 3º trimestre de 2014, o abate de frangos (1,419 bilhão de cabeças) apresentou aumento de 6,7% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 2,7% em relação ao 3º trimestre de 2013. O abate de suínos (9,641 milhões de cabeças) cresceu 5,1% em relação ao 2º trimestre de 2014 e 3,0% frente ao mesmo 3º tri de 2013. A produção de ovos de galinha foi de 720,036 milhões de dúzias, com aumento de 3,0% sobre o 2º trimestre de 2014 e de 3,9% sobre o 3º trimestre de 2013.

Tanto para o abate de frangos quanto para o de suínos, esses resultados são os melhores de toda a série iniciada em 1997. A produção de ovos de galinha também foi a maior da série iniciada em 1987.

O abate de bovinos no Brasil no 3º trimestre de 2014 foi de 8,457 milhões de cabeças, registrando uma queda de 1,0% em relação ao trimestre imediatamente anterior (8,539 milhões de cabeças). Na comparação com o 3º trimestre de 2013 (8,859 milhões de cabeças), houve uma queda de 4,5%, interrompendo uma série de 11 sucessivos aumentos nos comparativos anuais dos mesmos trimestres.

A aquisição de leite cru foi de 6,267 bilhões de litros, um aumento de 8,1% com relação ao 2º trimestre de 2014 e de 4,6% com relação ao 3º trimestre de 2013. Já a aquisição de peças de couro foi de 9,208 milhões, com aumentos de 0,3% sobre o trimestre anterior e de 8,1% sobre o 3º trimestre de 2013.

Essas e outras informações estão disponíveis nos resultados do 2º trimestre de 2013 das Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais e Aquisição de Leite, Couro e Produção de Ovos. A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na página:  http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/producaoagropecuaria/default.shtm

Abate de frangos passa de 1,4 bilhão de cabeças e cresce 6,7% no trimestre

No 3º trimestre de 2014, foram abatidas 1,419 bilhão de cabeças de frangos, invertendo uma sequência negativa de três trimestres consecutivos de queda e estabelecendo novo recorde desde que a pesquisa foi criada, em 1997. Esse resultado significou aumentos de 6,7% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 2,7% na comparação com o mesmo período de 2013. O peso acumulado das carcaças foi de 3,249 milhões de toneladas, com um aumento de 6,7% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 5,7% frente ao mesmo período de 2013.

Na comparação anual, a região Sul aumentou sua participação, passando de 59,8% para 61,4%, registrando aumento de 5,4% no número de cabeças de frangos abatidas. Esse resultado foi consolidado pelo desempenho positivo dos três estados da região, sobretudo o Rio Grande do Sul, com aumento de 10,1%. O Sudeste teve sua participação reduzida de 19,9% para 19,1% e menor volume de frangos abatidos, com Minas Gerais abatendo 7,2% a menos. No Centro-Oeste, Goiás, Mato Grosso e Distrito Federal registraram quedas no número de cabeças de frango abatidas, impondo um desempenho negativo para a região, que teve sua participação reduzida de 15,4% para 14,4%.

Abate de suínos aumenta 5,1% no trimestre, com 9,6 milhões de cabeças

No 3º trimestre de 2014 foram abatidas 9,641 milhões de cabeças de suínos, representando aumentos de 5,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 3,0% na comparação com o mesmo período de 2013. Este resultado é o melhor terceiro trimestre desde que a pesquisa foi criada em 1997, estabelecendo novo recorde. O peso acumulado das carcaças alcançou 833,369 mil toneladas, representando aumentos de 4,2% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 2,8% em relação ao mesmo período de 2013.

A região Sul respondeu por 66,0% do abate nacional de suínos, seguida pelas regiões Sudeste (18,7%), Centro-Oeste (14,2%), Nordeste (1,0%) e Norte (0,1%). Na comparação anual, a região Sul apresentou aumento de 3,2% no número de cabeças abatidas, ampliando a sua participação no abate nacional em 0,2%, principalmente devido ao incremento de 8,0% no volume de cabeças abatidas em Santa Catarina. A região Sudeste também aumentou a sua participação (0,1%) com a escalada positiva de São Paulo (9,7%), enquanto a região Centro-Oeste registrou queda de participação (-0,1%), apesar de ter aumentado o número de cabeças abatidas, principalmente com o desempenho positivo de Mato Grosso do Sul (12,6%)

Abate bovino fica em 8,4 milhões e cai 4,5% na comparação anual

No 3º trimestre de 2014, foram abatidas 8,457 milhões de cabeças de bovinos. Esse valor foi 1,0% menor que o registrado no trimestre imediatamente anterior (8,5 milhões de cabeças) e 4,5% menor que o registrado no 3º trimestre de 2013 (8,8 milhões de cabeças). O 3º trimestre de 2014 quebra a série de 11 sucessivos aumentos nos comparativos anuais dos mesmos trimestres.

O peso acumulado de carcaças no 3º trimestre de 2014 (2,037 milhões de toneladas) foi 1,3% maior que a registrada no trimestre imediatamente anterior (2,011 milhões de toneladas) e 4,1% menor que a registrada no 3º trimestre de 2013 (2,124 milhões de toneladas).

Em nível nacional, o abate de 402.579 cabeças de bovinos a menos no 3º trimestre de 2014, na comparação com igual período do ano anterior, teve como destaque: Mato Grosso (-217.187 cabeças), Rondônia (-114.723 cabeças), Mato Grosso do Sul (-102.922 cabeças) e Goiás (-86.349 cabeças). Entretanto, parte da diminuição foi compensada por aumentos em outros estados, como Paraná (+30.392 cabeças), Minas Gerais (+28.727 cabeças) e São Paulo (+16.315 cabeças). No ranking nacional do abate de bovinos, Mato Grosso segue na liderança e São Paulo assume a segunda posição com as quedas nos abates de Mato Grosso do Sul e Goiás.

Aquisição de leite sobe 8,1% em relação ao 2º tri de 2014

No 3º trimestre de 2014 foram adquiridos, pelas indústrias processadoras de leite, 6,267 bilhões de litros do produto, indicando aumentos de 4,6% sobre o 3º trimestre de 2013 e de 8,1% sobre o 2º trimestre de 2014. A industrialização, por sua vez, foi de 6,2 bilhões de litros, aumento de 4,9% de sobre o mesmo período de 2013 e de 8,1% sobre o volume registrado no 2º trimestre de 2014.

Regionalmente, verificou-se que o Sul foi responsável por 38,7% da aquisição nacional de leite, o Sudeste por 38,6% e o Centro-Oeste por 13,0% no 3º trimestre de 2014. O Nordeste do país contribuiu com 5,3% da aquisição e o Norte com 4,5%. Neste 3º trimestre de 2014, o Sul do país superou o Sudeste na aquisição de leite, assumindo a maior participação nacional.

Com 720,0 milhões de dúzias, produção de ovos bate recorde

A produção de ovos de galinha foi de 720,036 milhões de dúzias no 3º trimestre de 2014. Comparativamente ao 3º trimestre de 2013 e ao 2º trimestre de 2014, observaram-se aumentos respectivos de 3,9% e 3,0%. A produção de ovos de galinha obtida neste 3º trimestre foi a maior de toda a série histórica da pesquisa iniciada em 1987. Tomando o 1º ponto da série (janeiro de 1987) e o último, a produção de ovos cresceu duas vezes e meia. Em termos de distribuição regional da produção, o sudeste detinha 48,9%, seguido pela região Sul (22,1%), Nordeste (13,4%), Centro-Oeste (13,1%) e Norte (2,4%)

Aquisição de couro cai 8,1% sobre 3º trimestre de 2013

A aquisição de couro foi de 9,208 milhões de peças no 3º trimestre de 2014, representando um aumento de 0,3% sobre o trimestre imediatamente anterior e 8,1% menor do que o registrado no 3º trimestre de 2013. Do total do couro adquirido, 66,7% vinham de matadouros frigoríficos, seguido pela prestação de serviços (23,8%).

Quanto à participação das unidades da federação no total de couro cru adquirido, Mato Grosso, o líder absoluto no abate de bovinos e também no processamento do couro cru, continuou a liderar o ranking nacional no 3º trimestre de 2014.

 

Fonte: IBGE

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄