COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Veja como os deputados mais votados em Lagoa da Prata e Santo Antônio do Monte se posicionaram na votação desse polêmico projeto

A Assembléia Legislativa de Minas Gerais aprovou na quarta-feira (11), em segunda votação, com 36 votos favoráveis e 22 contrários, o projeto que estabelece a volta do pagamento do auxílio-moradia de R$ 2.850 mensais a todos os 77 deputados estaduais, inclusive àqueles com residência própria em Belo Horizonte e região metropolitana. Uma manobra da Mesa Diretora vai permitir que, a partir de março, o benefício possa chegar a R$ 4.377,73, teto estabelecido pelo Conselho Nacional de Justiça aos membros do Judiciário.

A decisão dos deputados gerou protestos nas redes sociais. Pressionados pela repercussão negativa, alguns mudaram de opinião durante as duas votações do projeto. Até na noite de quarta-feira, 17 parlamentares apresentaram requerimentos para não receber o auxílio-moradia. Para receber o benefício, os deputados terão que apresentar um requerimento à Mesa Diretora da casa.

Continua depois da publicidade.

Veja como os deputados mais votados em Lagoa da Prata e Santo Antônio do Monte votaram:

FOTO DO DEPUTADO ELEITO PARA 16ª LEGISLATURA

 

Tiago Ulisses/PV: Votou favorável ao projeto. Possui imóvel no bairro Buritis. Apresentou requerimento para não receber o auxílio-moradia.

 

 

 

Mário Henrique Caixa

 

 

Mário Henrique Caixa/PC do B: Votou contra na segunda votação. Possui imóvel no bairro Luxemburgo. Apresentou requerimento para não receber o auxílio-moradia.

 

 

Inácio Franco

 

 

Inácio Franco/PV: Votou favorável ao projeto. Não possui imóvel em Belo Horizonte.

 

 

 

Fabiano Tolentino (deputado estadual PSD/MG)

 

 

Fabiano Tolentino/PPS: Votou contra o projeto. Não possui imóvel em Belo Horizonte. Apresentou requerimento para não receber o auxílio-moradia.

 

 

Vanderlei Miranda

 

 

Pastor Vanderlei Miranda/PMDB: Votou favorável ao projeto. Possui imóvel em Nova Lima e Belo Horizonte.

 

 

alencar da silveira junior

 

 

Alencar da Silveira Júnior/PDT: Votou contra o projeto. Possui imóveis em Belo Horizonte. Apresentou requerimento para não receber o auxílio-moradia

 

 

Carlos Henrique

 

 

Carlos Henrique/PRB: Faltou à sessão. Possui imóvel em Belo Horizonte.

 

 

 

Fábio de Avelar

 

 

Fábio de Avelar/PTdoB: Votou favorável ao projeto. Não possui imóvel em Belo Horizonte.

 

 

 

O Jornal Cidade entrou em contato com a assessoria dos oito deputados citados na matéria.

A assessoria de Alencar da Silveira Júnior informou que o deputado apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC 37/2012) que extingue todos os penduricalhos e está lutando pela sua aprovação.

O deputado Tiago Ulisses, informou, por meio de sua assessoria, que o projeto de resolução em questão tratava de vários assuntos referentes a alterações na estrutura administrativa da Assembleia Legislativa, dentre eles, constava o auxílio-moradia e não havia a possibilidade de rejeitar apenas o item de que tratava o benefício. Ulisses, portanto, protocolou antes da votação o pedido para abrir mão do auxílio-moradia.

A assessoria de Fabiano Tolentino informou que ele foi o primeiro deputado em Minas Gerais a abrir mão da “Bolsa Moradia” em 2013. “Ele também foi o primeiro deputado a renunciar o recebimento do 14º e 15º salários, conhecidos como auxílio-paletó”, informou a nota enviada ao Jornal Cidade.

Os demais deputados não responderam à solicitação de informações enviada pelo jornal.

 

 

 

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp