fbpx

Lagopratense cria presépio com materiais reciclados

Carlucio, morador de Lagoa da Prata, conta que a obra é fruto do seu gosto por artesanato e da sua devoção por São Cristóvão - santo que dá nome ao presépio.

É difícil encontrar quem não se apaixone, ano após ano, pelo período natalino. O conjunto de cores, luzes e ornamentos, típicos desta época, além de descansar o espírito de quem o vê, sinaliza a chegada de um novo tempo – melhor e mais humano. Este sentimento, muitas vezes, é camuflado através de campanhas de final de ano para as quais o Natal nada mais é senão um outro sinônimo para a palavra lucro. Bem distante desta distorção capitalista do espírito natalino, está o Presépio São Cristóvão, criado pelo lagopratense Carlucio Costa Oliveira. Feito todo com materiais reutilizados, o projeto transmite a simplicidade que, para os cristãos, marca o nascimento do menino Jesus. O Messias até poderia ter escolhido um local luxuoso para o seu nascimento, mas preferiu uma simples manjedoura.

O autor do projeto conta que a ideia de construir um presépio móvel com materiais recicláveis é antiga, porém, só neste ano foi possível confeccioná-lo. “Sou fanático por artesanto e, este ano, há cerca de quatro meses atrás, decidi colocar em prática o projeto de um presépio móvel que eu tinha há anos. Deus abençoou que eu consegui concluí-lo”, comenta Carlucio. 

A obra tem 2 metros por 70 centímetros e foi toda produzida com materiais reutilizados, como pedaços de madeira, papelão e jornais. As roupinhas que vestem os personagens, por exemplo, foram confeccionadas à mão a partir de retalhos de panos e tecidos. Apenas a cabeça dos bonecos foi esculpida por uma outra artesã, colega de Carlucio. Todo o resto é fruto de sua criatividade e disposição. “Até eu mesmo fiquei surpreso pelo que eu fiz”, relata o artesão orgulhoso do seu projeto.

 

“Foi a primeira vez que eu montei um presépio. Já fiz muito artesanato com  casca de bambu, palito de picolé e de fósforo, de latinha e outros materiais. Já há muito tempo queria fazer um presépio móvel, mas só agora consegui fazer”. 

 

Perguntado sobre o que o presépio significa para ele, Carlucio fala que representa o nascimento de Jesus e também o sofrimento pelo qual ele passou para que a humanidade fosse salva. Em outras palavras, sua obra representa a renovação. Não à toa, a oportunidade para fazê-lo surgiu durante o período de isolamento social imposto em decorrência da pandemia. De um período de dificuldades para todos, surgiu o presépio que representa a esperança. “Não fiz para mim, fiz para que a população de Lagoa da Prata pudesse ver, admirar e se inspirar”, conta o artesão.

A obra está exposta no salão da Comunidade São Cristóvão. Inclusive, sobre o nome escolhido para o presépio, Carlucio fala que vem de sua devoção pelo santo. “Eu fui caminhoneiro durante muitos anos e tenho uma imagem de São Cristóvão desde aquele tempo. Além disso, moro na comunidade São Cristóvão”, complementa. 

Carlucio comenta que está disposto a levar o seu presépio para outros lugares, a fim de mostrá-lo a quem se interessar. “Quando ele estiver em minha casa também, as portas estarão abertas para quem quiser visitar”, convida o artesão. Tamanha generosidade e doação à comunidade é um exemplo de espírito natalino que vai muito além do consumismo ao qual a data está associada. A própria ideia de construir o presépio com materiais, a priori, sem utilidade, reforça o propósito do artista para com a sua obra: renovação, simplicidade e entrega ao próximo. 

 

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄