fbpx

Itens de materiais escolares chegam a ter 53% de aumento em relação ao ano de 2021

Com algumas táticas é possível economizar um pouco e ter uma redução no valor final da compra.

Quem for comprar material escolar neste ano deve encontrar preços mais altos. A alta do dólar, que é comum refletir nos cadernos e mochilas, por exemplo por serem importados; o encarecimento dos combustíveis, o que impacta nos custos de transporte das mercadorias; a inflação acima da meta estabelecida pelo governo; e o desabastecimento pontual das cadeias produtivas, são alguns dos motivos para esses tipos de materiais terem seus valores alavancados.

A reportagem do Jornal Cidade fez uma pesquisa no dia 15 de janeiro para saber a diferença de valores de produtos de 2021 para 2022 e, teve item que chegou a ter um aumento de 53%. Confira:

 

Produto Valor em 2021 Valor em 2022 Aumento (%)
Caderno Tilibra  – capa dura) – 10 matérias – 200 folhas

R$ 11,99

R$ 17,64

47%

Lápis de cor Faber Castell – 24 cores

R$ 18,80

R$ 24,20

29%

Caneta Bic Cristal (azul, preta ou vermelha)

R$ 1,50

R$ 2,30

53%

Lápis Faber Castel

R$ 1,60

R$ 2,00

25%

A4 Chamex – 500 folhas

R$ 24,90

R$ 29,90

20%

Borracha faber Castell

R$ 3,30

R$ 4,50

36%

Apontador com depósito Faber Castell

R$ 4,90

R$ 5,60

14%

Tesoura escolar Mundial sem ponta

R$ 4,80

R$ 6,75

41%

Régua Leo & Leo transparente 30 cm

R$ 2,99

R$ 3,90

30%

Cola branca Tenaz 35g

R$ 2,99

R$4,55

52%

 

Mas dá para economizar?

Com algumas táticas é possível economizar um pouco e ter uma redução no valor final da compra. Veja algumas dicas:

  • Pesquise muito antes de comprar;

Hoje em dia, não é preciso nem ‘bater perna’ para pesquisar preços. Os pais podem consultar a internet antes para escolherem qualquer material escolar.

 

  • Junte-se a outras pessoas e compre no atacado;

Comprar 24 lapiseiras, em vez de duas, provavelmente fará com que o preço unitário caia.

É claro que ninguém precisa de tantos itens iguais em casa. Por isso, a dica é reunir outros pais de alunos da mesma escola e fazer compras em grandes quantidades, dividindo os custos.

  • Organize feirinhas de troca de material;

Reaproveitar livros, seja do irmão mais velho ou de um vizinho, é uma ótima forma de economizar nos gastos com material. Há escolas que organizam pontos de troca ou de venda (a preços reduzidos) de volumes usados, por exemplo.

  • Evite cadernos e mochilas ‘da moda’;

Em geral, são produtos que não têm nenhuma vantagem nas funcionalidades, mas que custam mais caro.

  • Não deixar para a última hora;

Comprar o material escolar só no fim de janeiro pode fazer com que os pais enfrentem lojas mais cheias; encontrem vendedores menos dispostos a negociar descontos, já que os estoques estarão reduzidos e tenham um leque menor de produtos para escolher pela internet, porque só poderão comprar opções com entrega rápida.

  • Prestar atenção à reputação do site

É aquela história de “o barato sair caro”. Se for comprar pela internet, é preciso analisar a reputação do site (se é confiável e cumpre os prazos de entrega, por exemplo).

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄