COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade .

Secretaria de Estado de Defesa Social, em trabalho conjunto com a Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas, será a responsável pela gestão das vagas

Representantes de 42 comunidades terapêuticas se reuniram, nesta terça-feira (04), na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, em Belo Horizonte, para receber informações sobre monitoramento e fiscalização de convênios que garantem 715 novas vagas para internação de usuários de drogas em Minas Gerais.

Continua depois da publicidade .

Os contratos foram firmados entre as unidades de tratamento e a Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas (Senad), do governo federal, que junto com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) realizará a gestão das vagas. A iniciativa complementa a Rede Complementar de Suporte Social na Atenção ao Dependente Químico de Minas Gerais, por meio da qual o Governo de Minas estabelece parceria com 32 instituições que atenderam quase 20 mil pessoas em 2013.

De acordo com o subsecretário de Políticas Sobre Drogas, Cloves Benevides, o Governo de Minas repassa, anualmente, cerca de R$ 7 milhões às entidades conveniadas e as ações serão suplementadas com o repasse de mais R$ 8,7 milhões, em 2014, pelo governo federal. “É com a integração das práticas de múltiplos atores que se constrói a políticas sobre drogas”, afirmou Benevides.

O presidente da Federação de Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil, pastor Wellington Vieira, também ressaltou que a assinatura dos convênios atende a uma demanda antiga das comunidades terapêuticas. “Desde 2011, buscamos o reconhecimento do governo federal para que sejamos considerados, de fato, um ponto da rede de atendimento. Foi um processo demorado, mas que agora seguirá um modelo semelhante ao adotado em Minas Gerais desde 2003”, afirma.

Foto: Gil Leonardi/Imprensa MG

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp