Projeto Casulo vai capacitar voluntários

Projeto Casulo vai capacitar voluntários

Foto: Projeto Casulo/Arquivo

As entidades filantrópicas de Lagoa da Prata poderão receber mais pessoas para ajudar nas ações sociais, assim como, também, poderão surgir novos grupos de voluntários em trabalhos assistenciais. Está começando na cidade o Projeto Casulo, criado para fomentar e capacitar pessoas que desejam ajudar nas instituições. É como um núcleo organizando voluntários para serem direcionados de acordo com suas afinidades e habilidades aos lugares que precisam de ajuda.

São várias as entidades sem fins lucrativos em Lagoa da Prata, que se esforçam para melhorar as condições de muitas pessoas na sociedade. Mesmo assim, uma grande parte da população ainda carece de ajuda, pois atualmente existem mais de 4 mil famílias em situação de vulnerabilidade social. De acordo com a idealizadora do projeto, Cali Silva, a proposta é articular estratégias com todos os setores da sociedade em busca de uma cidade transformada. “Desde quando coordenei a AMAVI até agora como secretária de Assistência Social, pude perceber que a comunidade tem o desejo de contribuir, mas muitas vezes não sabe quem procurar ou o que fazer, e isso acaba gerando várias ações pulverizadas e até repetidas no município. Então vi a necessidade de desenvolver um sistema integrado para captar voluntários e parceiros. Assim é possível qualificar, motivar e informar esse pessoal, apontando onde estão as mazelas, os riscos e as vulnerabilidades”, explica.

No último senso, realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de Lagoa da Prata era de pouco mais de 45 mil habitantes, e hoje estima–se que mais de 51 mil pessoas residam aqui. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) do município, de 0,732, é considerado alto. Para Cali, este é um dos principais motivos geradores da proposta: “Felizmente a cidade está crescendo, e isso tem gerado um expressivo aumento na demanda social, que nem o poder público nem as associações têm conseguido absorver, e é aí que entra a comunidade”, destaca.

O lançamento oficial do projeto deve acontecer no início de dezembro, mas as ações já estão sendo desenvolvidas, como conta Cali: “Nosso lema é ’Por uma sociedade ativa e transformadora. Faça a diferença, Seja a diferença’. Estamos trabalhando para disseminar essa cultura do servir de forma  ordenada e mais eficaz. A base da proposta é a escola de voluntariado, onde iremos captar tanto pessoas físicas como empresas parceiras, e iremos  canalizar toda essa energia onde for necessário. Hoje nós temos uma equipe-base com cerca de 20 pessoas, que estão com muita vontade de fazer mais e melhor por Lagoa da Prata”, conclui.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄