fbpx

Estufa comunitária beneficia agricultura familiar em Lagoa da Prata

Uma estufa comunitária instalada no Bairro Mangabeiras em Lagoa da Prata, está possibilitando que agricultores familiares da cidade tenham acesso à produção de mudas de boa qualidade, gratuitamente. A estufa em estrutura ecológica tem capacidade para produzir 20 mil mudas e beneficia cerca de 220 famílias.

De acordo com o técnico responsável pelo espaço, Jason Brito, a estufa recebe mudas de alface, beterraba, berinjela, rúcula, acelga, couve-flor, brócolis, dentre outras hortaliças. O técnico explica que a semente é doada pela Secretaria de Assistência Social de Lagoa da Prata e as mudas são encaminhadas aos produtores nas oito hortas comunitárias espalhadas pelos bairros da cidade. “O serviço é franqueado a todos os agricultores familiares e tem o objetivo de aumentar a oferta de mudas de qualidade para as famílias. A distribuição de mudas auxilia muito no trabalho dos agricultores que não precisam de semear a semente. Além disso, a distribuição de mudas ajuda na melhoria da qualidade da alimentação das famílias e também serve como complemento de renda”, explicou o técnico.

[pull_quote_right]O serviço é franqueado a todos os agricultores familiares e tem o objetivo de aumentar a oferta de mudas de qualidade para as famílias. A distribuição de mudas auxilia muito no trabalho dos agricultores que não precisam de semear a semente. Além disso, a distribuição de mudas ajuda na melhoria da qualidade da alimentação das famílias e também serve como complemento de renda[/pull_quote_right]

Jason Brito e o assessor Wanderlei Francisco de Paula são os responsáveis pelo projeto e explicam que toda a estrutura de estufa foi construída ecologicamente, com materiais como o bambu. “As hortas têm mais de dez anos na cidade. Vimos a necessidade de montar uma estufa para agilizar o processo de cultivo e beneficiar os moradores. A estrutura do local é toda ecológica. Usamos materiais reutilizados e principalmente bambu aqui da região mesmo. O custo para manter o local é baixo e traz um retorno muito bom para a cidade e para os agricultores”, contou Wanderlei de Paula.

Beneficiados
A agricultura familiar é a mais beneficiada com o projeto. O aposentado Nerci Ganio, de 64 anos, conta que pega as mudas na estufa toda semana e revende as hortaliças para ajudar no orçamento mensal da família. “Pego as mudas na estufa, planto e em cerca de cinco dias já consigo vender as hortaliças. Eu vendo alface, cebolinha e salsa que sai mais no comércio. E é tudo baratinho, mas ajuda muito a comprar remédio e as coisas para minha mulher e filha. Sem a estufa eu demoraria cerca de 18 dias só para semear, agora pego tudo prontinho o que me ajuda muito”, contou Nerci.

De acordo com a Prefeitura, as pessoas que têm acesso ao projeto são os inscritas nas oito hortas comunitárias da cidade. Para os interessados em se inscrever no projeto devem procurar a Secretaria de Assistência Social, à Avenida Benedito Valadares, nº 614, no Centro. Dúvidas e informações podem ser obtidas pelo telefone (37) 3261-3785.

Por: Bárbara Almeida

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄