Estudantes mineiros selecionados no Sisutec denunciam falhas no programa

Estudantes mineiros selecionados no Sisutec denunciam falhas no programa

Houve um problema no ato da inscrição e muitas instituições cadastradas não fazem parte do programa; pelo menos 4.000 candidatos foram prejudicados

Estudantes selecionados para o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Governo Federal, que oferece cursos técnicos gratuitos denunciam falhas no programa.  Apesar de terem feito inscrição para cursar as disciplinas em Belo Horizonte e região metropolitana, muitos foram pegos de surpresa ao serem selecionados para estudar no interior do Estado. Isso por que, houve um problema no ato da inscrição e muitas instituições cadastradas, na verdade, não fazem parte do programa. A estimativa é que pelo menos 4.000 candidatos tenham sido prejudicados. Alguns já fizeram um abaixo-assinado e ameaçam acionar o Ministério Público.

Uma mãe desesperada procurou a reportagem de O TEMPO. Segundo ela, o filho fez inscrição por meio do site do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) para o curso técnico em higiene bucal na Instituição Federal de Minas Gerais (IFMG) campus Betim. Porém, ao verificar a classificação foi informada de que o curso será ofertado na cidade de Maravilhas, na região Central de Minas. A mulher alega que não foi informada da mudança durante a inscrição.

A reportagem tentou entrar em contato com a instituição diversas vezes, mas ninguém foi encontrado. Além disso, o site da IFMG está fora do ar há vários dias. O campus Betim consta na lista de instituições selecionadas pelo Sisutec, inclusive com os cursos ofertados.

A mulher alega que foi induzida ao erro. “Eu entrei em contato com os responsáveis pelo Sisutec na IFMG e me informaram que ouve realmente um erro por parte do MEC em registrar os cursos na cidade de Betim. O MEC não se pronuncia. Já tentei falar no 0800 que foi disponibilizado e não atendem. Já enviei e-mail e não retornaram. Gostaria de saber então como devemos proceder. Meu filho vai ficar no prejuízo por erro de terceiros? A quem devemos recorrer? Ele não tem condições de ir para uma cidade a mais de 100 km de distância “, afirmou a mãe.

Além do estudante de Betim, milhares de outras pessoas foram selecionadas e tiveram o mesmo problema. A estimativa é que pelo menos 4.000 candidatos tenham sido prejudicados.

Resposta

Em nota, a assessoria do Ministério da Educação (MEC) confirma a falha, mas não aponta nenhuma solução. “Isso, de fato, ocorreu em algumas  localidades, não por erro do MEC, mas pela informação lançada no Sisutec pela própria instituição ofertante. Nesses casos, as instituições não mencionaram expressamente o local de realização do cursos, divulgando apenas o endereço da unidade sede”, afirma a nota na íntegra.

A reportagem voltou a entrar em contato com o MEC para saber como os alunos lesados devem proceder ou se as inscrições poderão ser refeitas. Ainda em nota, o ministério informou que “as informações sobre a oferta de vagas por meio do Sisutec são de inteira responsabilidade das instituições ofertantes, a quem coube o lançamento dos dados no sistema  relativos às suas respectivas ofertas de cursos.  Sendo assim, os alunos precisam entrar em contato com a instituição”.

Fonte: O Tempo

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄