COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Autor de vasta produção artística e criador de inúmeros desenhos relacionados à espiritualidade, autor desenvolveu sua técnica utilizando como instrumento apenas o lápis.

                       

A Casa de Cultura ‘Professora Maria do Carmo Frias’ irá receber a partir do dia 16 de julho a exposição de arte do renomado mestre de Maha Yoga, Sri Maha Krishna Swami, expoente da cultura indiana que expressa sua técnica de maneira única ao unir a veia artística à sabedoria espiritual, fazendo de sua ‘pena’ também um lápis. A mostra começa no dia 16 de julho e vai até 23 de julho, e pode ser visitada no horário de 08h às 22 h.

Os organizadores do evento contam que Sri manifestou desde muito cedo seu talento para as artes. Escreveu uma coletânea de livros espirituais, com ilustrações de sua autoria que trazem ensinamentos ao mesmo tempo incisivos e doces, onde resgata a palavra dos grandes mestres de todos os tempos com a firmeza inabalável da verdade e a sutileza do amor universal. Utilizando uma linguagem clara e simples, suas publicações representam o caminho direto para a ‘conscientização do Divino’.

Continua depois da publicidade.

Segundo os curadores do evento, a ideologia do guru preconiza que o verdadeiro guia é aquele que mostra o caminho da libertação.

 

3fe1f1dbec6db74e421e2b843361f76a

 

 

 

 

 

 

 

 

Conheça mais a respeito da técnica do guia espiritual

 

A Mahayoga é um caminho direto de autoconscientização que, com a ajuda da meditação e da devoção iniciáticas, conduzem à autorrealização, uma vez que estas são as duas asas necessárias para guiar o ser humano ao infinito, tal como afirmava Bhagavan Sri Ramana, grande santo da índia. Por meio de um conjunto de práticas espirituais, acessíveis a todas as pessoas, a técnica harmoniza o corpo físico, acalma a mente, relaxa as tensões e amansa o coração, permitindo a conquista da paz e da felicidade plena.

 

O artista

Sri Maha Krishna Swami, mestre da Maha Yoga, trouxe para os homens o caminho direto de autoconscientização que, por meio da meditação e da devoção iniciáticas, conduz à autolibertação. Além disso, já muito jovem também manifestou seu talento para as artes plásticas.

Autor de vasta produção artística que será apresentada nesta exposição, criou inúmeros desenhos relacionados à espiritualidade, utilizando como ferramenta apenas o lápis.

 

Ramana Maharshi

Bhagavan Sri Râmana Mahârshi (30 de dezembro de 1878 — 14 de abril de 1950), mestre de Advaita Vedanta e homem santo do sul da Índia. Considerado um dos maiores sábios de todos os tempos, tornou-se conhecido no Ocidente especialmente através do livro “A Índia Secreta”, do jornalista e escritor inglês Paul Brunton, que retratou os ensinamentos de Ramana, transmitidos, na maioria das vezes, em silêncio absoluto aos seus discípulos. Outro autor famoso que deu destaque à Ramana Maharshi foi Paramahansa Yogananda, na Autobiografia de um Iogue, ao visitá-lo durante seu regresso à India em 1935. Outro famoso espiritualista que foi ao ashrama receber o darshan de Ramana foi Mahatma Ghandi, em busca de apoio para seu movimento de libertação da Índia.

Shri Ramana Maharshi foi o grande representante da sabedoria milenar da Índia no século XX. Isso não significa que ele foi um acadêmico que sabia de cor e salteado os textos sagrados da religião, mas sim que viveu e mesmo personificou à perfeição tal sabedoria. Na verdade, ele não escreveu nenhum livro. Ensinava o jnâna, ‘via do conhecimento espiritual’ mais puro. Ao mesmo tempo, ressaltava que as outras duas outras grandes vias espirituais, a do karma (das ações) e da bhakti (devoção) estavam contidas no jnâna.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Arcos.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp