Governo de Minas acerta implantação de gasoduto de Betim até Uberaba

Governo de Minas acerta implantação de gasoduto de Betim até Uberaba

Em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (29/11), em Uberaba, no Triângulo Mineiro, o governador Antônio Anastasia anunciou que o Governo de Minas acertou uma proposta para viabilizar a chegada do gás natural até o município, que viabilizará a implantação da fábrica de amônia pela Petrobras. As quatro empresas envolvidas no projeto – Petrobras, Cemig, Gaspetro e Gasmig, decidiram pelo trajeto do gasoduto, que partirá de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e percorrerá 457 km até chegar a Uberaba.

O acerto foi feito em reunião realizada na última terça-feira (26/11), na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro. O Governo de Minas foi representado na reunião por dirigentes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), da Cemig e da Gasmig. Diretores da Petrobras e da Gaspetro representaram o governo federal.

A ideia inicial, mais simples e rápida, era que o gasoduto partisse de São Paulo. Segundo o governador Antônio Anastasia, impedimentos de ordem jurídica e burocrática tornaram moroso o processo. A alternativa, portanto, foi procurar viabilizar o projeto a partir da capital mineira. “Faremos o gasoduto entre Belo Horizonte, atendendo a Uberaba, atendendo o Triângulo Mineiro e resolvendo a questão da fábrica de amônia. Isso foi objeto de reunião com a Petrobras esta semana”, afirmou o governador, dizendo que, futuramente, esse gasoduto poderá ter novas ramificações.

O gasoduto terá capacidade inicial para transportar 3 milhões de metros cúbicos/dia de gás natural, combustível suficiente para abastecer a fábrica de amônia da Petrobras, em implantação em Uberaba, além de outros empreendimentos industriais na região. A previsão inicial é de que a obra esteja concluída até maio de 2016.

Netwise

“Com essa solução, o Governo de Minas cumpre o compromisso feito com a população de Uberaba, com governo federal e com lideranças do Triângulo Mineiro de viabilizar o gasoduto, uma obra de fundamental importância para a instalação da fábrica de amônia da Petrobras”, afirmou o governador de Minas, Antonio Anastasia. “Trata-se de um empreendimento que impulsionará, de forma expressiva, o desenvolvimento econômico e social não apenas de Uberaba, mas de toda a região do Triângulo e também dos municípios por onde passará o gasoduto”.

 

Atração de novos empreendimentos

O gasoduto percorrerá apenas o território de Minas, gerando valor para o Estado na execução da obra, com criação de novos empregos, e, principalmente, potencializando a atração de novos empreendimentos para o Estado, com a chegada do gás natural a regiões ainda não atendidas pela Gasmig.

O projeto acordado entre as quatro empresas, com o gasoduto partindo de Betim, passará por municípios com potencial do uso do gás natural, como Juatuba, Igarapé, Mateus Leme, Itaúna, Divinópolis, Lagoa da Prata, Luz, Araxá e Delta, entre outros.

Após o detalhamento técnico, operacional e financeiro do projeto, as quatro empresas integrantes do acordo vão submeter a proposta do projeto de construção do gasoduto à aprovação de seus respectivos Conselhos de Administração.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄