Confira a disponibilidade de leitos no Hospital São Carlos de Lagoa da Prata

Confira a disponibilidade de leitos no Hospital São Carlos de Lagoa da Prata

A maioria dos pacientes internados no hospital se tratam de homens e a faixa etária mais afetada pela covid-19 estão em pacientes com idade acima de 70 anos.

Karine Pires
@karinepiress

Lagoa da Prata é uma das cidade que possui mais casos confirmados e mais óbitos na região Centro-Oeste, apesar de estar classificada na “onda amarela” do Minas Consciente, que é um plano desenvolvido pelo governo estadual para retomar gradualmente a economia da cidade. Pensando nisto, a redação do Jornal Cidade fez uma reportagem especial para saber a situação dos leitos, métodos utilizados e perfil clínico de internações no Hospital São Carlos. 

Danielle Saraiva, Gerente Administrativo do HSC explica como está a situação dos leitos atualmente no hospital. 

Hoje o Hospital São Carlos, conta com 54 leitos clínicos, sendo divididos da seguinte maneira: leitos de internação, 46 leitos SUS e 8 leitos particulares e convênios, 17 leitos de UTI SUS. Os leitos do Hospital São Carlos, são leitos disponíveis a toda a população não sendo possível perante a lei do SUS destinar leitos de internações exclusivos para municípios. 

A administradora afirmou que há 15 leitos de observação por meio de convênio com a Prefeitura Municipal e que o hospital aplicou o número de leitos por conta da pandemia da covid-19.

Referência no tratamento contra o novo coronavírus

O HSC é referência no tratamento contra a Covid-19, mas para ser considerado como tal, a instituição tomou algumas medidas para proteção dos funcionários e também dos pacientes através de um Plano de Contingência e Enfrentamento a Covid-19 do próprio hospital e pelo treinamento da equipe multiprofissional quanto ao uso de EPI ( Equipamento de proteção Individual), segundo a Comissão de controle de Infecção Hospitalar ( CCIH) ambas as ações consistem basicamente em:

  • isolamento de andares exclusivos para Covid-19;
  • colaboradores exclusivos para os setores;
  • salas de atendimento exclusiva para Covid-19;
  • entrada de pacientes suspeitos para internação por entrada exclusiva;
  • medidas de desinfecção das áreas comuns;
  • afastamento dos funcionários de alto risco da linha de frente de atendimento ao paciente com suspeita de Covid-19;
  • dimensionamento de pessoal nas enfermarias para minimizar os riscos de contágio;
  • treinamento e conscientização dos funcionários sobre o uso correto dos EPIs, como vesti-los e retirá-los;
  • adaptação da estrutura física existente atender melhor a demanda de pacientes e garantir a segurança do colaborador;
  • aplicação protocolos de atendimento visando padronizar a assistência ao doente suspeito;
  • Ampliação de 7 leitos de UTI

Visitas “virtuais’’

No início do mês de julho, a instituição adotou as visitas virtuais para não deixar as famílias e os pacientes sem contato durante a pandemia. A medida contempla os pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e ocorrem através de videochamadas entre familiares e amigos dos pacientes.

Foto: (Reprodução/ Internet)

A iniciativa partiu da equipe de psicologia da instituição, que visa fortalecer o vínculo entre os pacientes e familiares, os próprios profissionais também se aproximaram mais das famílias dos pacientes por meio da ação. De acordo com Danielle, as visitas continuam e a equipe do hospital está realizando as chamadas de vídeos todos os dias. Avaliando sempre a disponibilidade do paciente.

Perfil dos pacientes internados no HSC

Foto: (HSC/Divulgação)

Segundo dados do relatório de internações da própria instituição enviado ao JC, ao todo houve 181 pacientes internados, no qual, em sua maioria 98 foram homens correspondendo a 54%. Em contrapartida, houve 83 mulheres internadas, correspondendo ao todo a 46%. Na UTI os homens lideram as internações com 49 pacientes indicando uma quantidade de 61% contra 19 mulheres que ocupam 39%.

A maioria dos pacientes internados no Hospital são residentes de Lagoa da Prata sendo que 81% vieram da Unidade de Pronto Atendimento da Cidade (UPA). Outros 45 são de diversas cidades da região Centro- Oeste, como Santo Antônio do Monte, Arcos, Nova Serrana e Japaraíba.

Netwise

146 (81%) vieram da UPA de Lagoa da Prata, 13 (7%) procuraram o pronto atendimento convênio e internaram diretamente, 15 (8%) vieram de Arcos, 10 (5%) de Samonte, 5 de Nova Serrana, 3 de Luz, 1 de Formiga, 2 de Para de Minas, 2 de Iguatama, 1 de Itapecerica, 1 de Iguatama, 1 de Itaúna e 1 de Estrela do Indaiá. Aponta relatório de dados do HSC.

Em relação à idade, a faixa etária de 71 a 80 anos seguido por pacientes com idades entre 61 a 70 anos de idade ocupam mais a UTI. Já as outras idades têm números próximos com exceção da faixa etária de 11 a 20 ans e 21 a 30 anos. Confira:

  • 11 a 20 anos: 1 ; 21 a 30 anos: 7 ; 31 a 40 anos: 23 ; 41 a 50 anos: 22 ; 51 a 60 anos: 26 ; 61 a 70 anos: 37

            71 a 80 anos: 38 ; Acima de 80 anos: 30

Outros dados importantes que compõe este relatório traz a média de permanência na UTI dos pacientes, que giram em torno de 15 dias. Ao todo, 15 pacientes foram transferidos para outras instituições.

No total, foram 12 óbitos sob suspeita de Covid-19, sendo que 8 tiveram resultados negativos e 4 com resultado positivo. Neste quadro, há 1 homem e 3 mulheres, 3 deles na faixa etária de 61 a 70 anos e 1 entre 71 e 80 anos. Por fim, houveram 126 altas hospitalares, sendo 72 pacientes com resultados negativos e 54 de pacientes com resultados positivos.

Situação no hospital até o momento

Como informado, o hospital possui 17 leitos para atender cidades da macrorregião, e, atualmente de acordo com o último boletim possui 13 pacientes na UTI, apenas 4 pacientes a menos da capacidade.

Boletim epidemiológico divulgado pela instituição nesta sexta-fera (21). Foto: (Hospital São Carlos/Divulgação)

 

 

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄