fbpx

Carta do leitor

Foto: Arquivo pessoal

Por: Cíntia Souza

Hoje quero falar sobre a Casa de Apoio em Belo Horizonte. Muitas pessoas que não conhecem criticam. A frase que usei para começar este texto é a realidade que eu vivi quando conheci de perto o trabalho desenvolvido na Casa de Apoio. Durante quase 30 dias vivenciei a realidade desta Casa e das pessoas que dela precisam. A Casa de Apoio é um pedacinho de Lagoa da Prata. Lugar de encontro de famílias lagopratenses com sofrimentos diferentes. Quando o portão se abre ainda de madrugada muitos vão chegando e encontrando o conforto da Casa. Sem distinção de classe social, todos comem e bebem juntos.

O cheiro do café quente preparado com carinho pela Darc ou Maria ameniza um pouco a ansiedade das pessoas pela espera da consulta, um diagnóstico, ou uma visita. Foram quase 30 dias, como já disse, conhecendo o sofrimento e a história de vida de pessoas que eu nem imaginava. Lagoa da Prata é privilegiada por este benefício. Desde a sua inauguração, muitas famílias deixaram a praça hospitalar para ter um lugar para comer e descansar até o horário da consulta.

Realidade essa que ainda não existe em muitas cidades. Sem falar no trabalho dos motoristas. Durante todo o dia eles estão à disposição dos pacientes levando e buscando em hospitais, clínicas e consultórios. A todos eles – Cici, Preto, Magu, Alexandre, Pepe e Jonas – o meu muito obrigada. Vocês serão sempre lembrados em minhas orações pelo carinho, atenção, preocupação e amizade comigo e com minha Princesinha Laura.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄