COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Um vazamento de esgoto está incomodando alguns comerciantes da avenida Brasil. De acordo com uma funcionária de um dos pontos comerciais, o vazamento já ocorreu no ano passado e ao procurarem o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) as atendentes disseram que o serviço de reparo só poderia ser realizado se os  responsáveis das empresas, as quais pertencem a rede, fizerem o pedido no SAAE. “Da outra vez tivemos que ir até o prefeito para que ele desse ordem ao SAAE para arrumar o local. E agora já tem 15 dias que o problema voltou. Já pedimos várias vezes lá no SAAE e eles alegam que as empresas responsáveis têm que fazer o pedido e pagarem para que o SAAE faça este serviço fora  do horário de trabalho deles.  Além do cheiro horrível fica essa água escorrendo. Acho que a rede está entupida, pois chega a vazar milho, que provavelmente é da granja”, afirmou.

O Jornal Cidade também procurou os proprietários dos empreendimentos, as quais pertencem a rede esgoto e um deles disse que o problema será resolvido e que a partir de agora a manutenção será feita pelo SAAE. O imóvel dos dois empreendimentos pertencem ao mesmo proprietário e em função disso a linha de esgoto de um passa próxima a do outro. Uma das empresas possui caixas separadoras de óleo e barro, seguindo as normas ambientais legais, onde a água é analisada periodicamente por empresa credenciada e o barro é retirado e recolhido por empresa credenciada. “Após visita do SAAE, entramos em contato com o proprietário do imóvel que já acertou com o SAAE a limpeza do esgoto na Avenida Brasil, o que deverá ocorrer hoje ou até amanhã no máximo. Além disso, nos foi informado que o material que está entupindo a rede contém restos de milho e penas”, afirmou o dono de um dos empreendimentos.

Continua depois da publicidade.

De acordo com o diretor do SAAE, Antônio Sampaio, o que ocasiona os vazamentos é a falta de manutenção na rede. “Isso é obrigação da empresa, dona da rede. O excesso de terra, areia e barro tirados dos carros e demais detritos, sem manutenção da rede, a faz entupir.  O que fizemos foi cientificar a prefeitura para que mande o seu fiscal e notifique os proprietários pela irregularidade e cobre dele a imediata solução. Os funcionários do SAAE não cobram pelo serviço durante o seu expediente, nada importa, no entanto, que em suas horas de folga prestem serviços a particulares, porém, o serviço citado, repito, não é obrigação deste SAAE”, destacou Sampaio.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp