COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.
Apesar do município nunca ter registrado casos de raiva humana, a falta da vacina é preocupante. Mediante a situação, a prefeitura realizou no mês de outubro uma campanha extra de vacinação em animais

Lagoa da Prata, assim como boa parte dos municípios de Minas Gerais, está enfrentando um desabastecimento da vacina que combate a raiva em humanos. Nem mesmo nos laboratórios particulares é possível encontrar a imunização. A falta da medicação está relacionado com o atraso das entregas de vacinas feitas pelo laboratório Butantan, é o que explica a enfermeira responsável pelo serviço de imunização da Secretaria Municipal de Saúde, Margarete Borges de Lacerda Dias. “Em Lagoa da Prata foram vacinadas, em média, 235 pessoas em 2015, e em 2016, em média, 150 pessoas até agosto. A partir desta data não tínhamos mais vacina disponível”, destacou.

A enfermeira ressaltou que o município nunca teve registro de raiva humana. A Secretaria de Estado de Saúde (SES) esclareceu que, quando constatou a falta de vacina, acionou o

Continua depois da publicidade.

Ministério da Saúde, responsável pelo repasse do insumo. Já o Ministério da Saúde, negou que o desabastecimento tenha ocorrido e, ainda informou que, das 25 mil doses entregues em todo o país em setembro, 2.200 foram para Minas Gerais.

Além disso, segundo o Ministério da Saúde, os Estados são responsáveis pela entrega das vacinas aos municípios, de acordo com as necessidades e as programações locais. O Estado pode, inclusive, realizar o remanejamento de doses. O ministério ressaltou que as vacinas são enviadas após inserção das demandas pelos Estados no Sistema de Informações de Insumos Estratégicos.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp