COMPARTILHAR
Ivo Jonas Gontijo, diretor do Sicoob Crediprata
Continua depois da publicidade.

Visando cumprir seu papel social e estar cada vez mais próximo das comunidades pela representatividade, tomaram posse os novos conselheiros de administração e conselheiros fiscais do SICOOB CREDIPRATA. Os conselheiros de administração terão um mandato de quatro anos, já para os conselheiros fiscais o mandato será de dois anos.

A última eleição, aconteceu no mês de abril, onde se apresentaram duas chapas. Para explicar melhor o processo, o diretor do Sicoob Crediprata, Ivo Gontijo, fala com detalhes.

Continua depois da publicidade.

Quando aconteceu a posse dos conselheiros e início dos trabalhos?

Ivo Gontijo: A posse dos conselheiros de administração aconteceu em agosto desse ano, após terem sido eleitos e homologados pelo Banco Central, sendo que todos passaram pelo critério das exigências legais para assumir o papel de conselheiro no SICOOB CREDIPRATA. Existe todo um processo de exigência e análise para ver se realmente eles têm condições de assumir o papel de conselheiro na cooperativa.

Como que funciona o trabalho dos conselheiros administrativos?

Ivo Gontijo: O trabalho dos conselheiros é estratégico e de acompanhamento onde analisam o negócio cooperativo para garantir que ele avance com o passar do tempo resguardando a sustentabilidade e perenidade da cooperativa. Além de garantir que os associados, tenham sua representação garantida.

Os conselheiros eleitos representam quais cidades?

Ivo Gontijo: Os conselheiros garantem pela sua atuação a equidade de tratamento aos associados das várias comunidades respeitando as individualidades locais. Temos nos conselhos representantes de todas as comunidades (Lagoa da Prata, Moema, Japaraíba e Distrito de Esteios) e de várias atividades e segmentações.

Qual a atribuição do conselho fiscal?

O conselho fiscal é composto por 6 membros, sendo 3 efetivos e 3 membros suplentes. Ele é responsável por todo processo de fiscalização da cooperativa juntamente com as estruturas de auditorias internas e externas que o apoiam e fazem também um trabalho de acompanhamento da cooperativa.

As reuniões do conselho acontecem em qual espaço de tempo?

Ivo Gontijo: As reuniões do Conselho de Administração acontecem mensalmente de forma ordinária, mas de acordo com a necessidade, podem acontecer reuniões extraordinárias, sob convocação do seu presidente.

Qual a principal preocupação do Sicoob Crediprata em relação à renovação dos conselheiros?

Ivo Gontijo:  No Brasil é exigido a existência do Conselho de Administração e o Conselho Fiscal para que a cooperativa possa desenvolver os seus trabalhos. A Lei 5764/1971 coloca os ditames que a cooperativa tem que seguir. O Conselho de Administração do SICOOB CREDIPRATA, tem o número de 9 integrantes, para que possa atingir um número maior de conselheiros representando comunidades e atividades, promovendo uma diversidade maior e mais eficiência na tomada de decisão, bem como na criação de estratégias. A substituição de 1/3 do conselho a cada 4 anos faz parte da exigência legal, para garantir a renovação da cooperativa, trazer novas ideias e impulsionar o desenvolvimento dentro de um princípio de renovação constante. Vale ressaltar que o Conselho de Administração é quem elege e destitui a Diretoria Executiva, ou seja, os diretores da cooperativa. São eleitos e executam as diretrizes definidas pelo conselho de administração no dia a dia.

Como diretor do Sicoob Crediprata, qual a sua expectativa frente ao novo conselho?

Ivo Gontijo: O conselho que tomou posse tem em sua constituição membros de diversas áreas de atuação do nosso mercado, que tem um amplo conhecimento e que são pessoas que foram escolhidas e selecionadas dentre os associados para se candidatar à função de conselheiros. O perfil analisado foi a base de conhecimento e como essa pessoa atua dentro da comunidade. A expectativa é de crescimento, desenvolvimento e continuidade  das práticas e estratégias que forem consideradas adequadas. O alinhamento é de que a cooperativa precisa crescer junto com os seus associados, pois o crescimento dela por si só não faz sentido. Uma cooperativa não pode crescer mais do que os negócios de seus associados, pois há o risco de, ao invés de promover o crescimento das empresas e dos negócios dos associados, ela se desenvolva em detrimento deles. O desenvolvimento das comunidades aumenta os negócios e, com a Livre Admissão, o cooperativismo de crédito pode ser levado a um número muito maior de pessoas.  Hoje temos mais de 7 mil associados e em grande expansão do número de associados.

Como é o processo de votação? Ele é por indicação ou por candidatura?

Ivo Gontijo: Para eleição do Conselho de Administração, é aberto um edital, onde qualquer associado tem o direito de se candidatar e assim, são montadas chapas e, no caso da última eleição tivemos duas chapas para Conselho de Administração e para Conselho Fiscal.  Há os requisitos e exigências legais que são colocadas nos estatutos e regimentos, onde o associado tem as condições exigidas para ele participar do processo eleitoral. Então ele é um processo aberto para todos associados e pessoas físicas.

O que representa para a cooperativa e para a comunidade ter um conselho formado com representantes locais?

Ivo Gontijo: Cada comunidade tem as suas particularidades e suas necessidades. No sentido de atender as necessidades de cada uma, quem vive na comunidade tem condições de entender com mais clareza  as necessidades e trazer esse conhecimento integrando a comunidade cooperativa.  É importante também citarmos o pertencimento, pois quando os membros daquela comunidade fazem parte do Conselho de Administração ela consegue entender que a cooperativa pertence àquela comunidade.

Em que medida você acha importante o relacionamento com a comunidade para projetar  e fortalecer a imagem da cooperativa?

Ivo Gontijo: Para perpetuarmos a cooperativa, a relação com a comunidade está alicerçada nos  princípios cooperativistas, que são baseados na preocupação com a comunidade, com  a transparência,  com a  equidade e com o fomento ao desenvolvimento econômico-social dos lugares em que está inserida. A cooperativa só cresce se a comunidade crescer, e essa é a sua maior força. Onde há a geração de renda e desenvolvimento econômico-social a sustentabilidade estará garantida.

Considerações: o SICOOB CREDIPRATA  já é uma cooperativa de nível III, que é o nível das maiores cooperativas do Sistema Cooperativista, gerando muito crescimento e desenvolvimento. Com praticamente 28 anos o Sicoob Crediprata trabalha para ser sempre a melhor solução financeira para os seus associados.

x

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp