COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Os obstáculos são os mesmos, uns ficam pelo caminho enquanto outro saem na frente

Quando estas épocas de incerteza chegam, a maioria das pessoas entra em desespero e inicia-se um grande alarde por conta de uma possível crise.

Continua depois da publicidade.

Embora os especialistas se dividam sobre a real existência de uma crise, nos últimos tempos diversas empresas já tiveram seus resultados afetados e, de alguma forma, sentiram efeitos negativos nos seus negócios.

Quando isso acontece as empresas começam a rever toda a estratégia e fazer toda sorte de cortes possíveis.

No entanto, nesse momento de alerta em muitas empresas é possível notar um ponto em comum: as áreas de marketing são uma das mais afetadas durante a crise.

Muitas empresas ainda têm uma visão do marketing como uma área de apoio, que traz resultados intangíveis e que gera uma grande quantidade de despesas. E, apesar de nós aqui na Lounge não termos essa visão do marketing, em alguns casos ela pode estar certa.

De forma geral, existem dois tipos de marketing dentro das empresas: aqueles que se posicionam como despesa e os que se posicionam como investimento.

No fundo, todo mundo pensa entender um pouco de marketing e o que mais se vê são empresas com grande potencial investindo em comunicação, marketing, propaganda ou como quiser chamar, e não enxergando retorno prático disso. Ora, tudo aquilo que não traz retorno pode ser qualquer coisa mas definitivamente não é um investimento.

A maioria das empresas que procuram a Lounge são empresas que já fizeram dezenas de gastos com marketing e nunca viram resultado algum disso; e o que pessoalmente mais me incomoda é saber que são empresas que tem tudo para se estabelecerem por cima.

Quando isso acontece a reação natural é “dar as costas” para o marketing; o que acaba sendo um grande erro. Reduzir os investimentos pode ser prejudicial, pois a empresa fica em meio ao que é chamado de potencial miopia de marketing, ou seja, não conseguir identificar os novos padrões de comportamento de seus consumidores, e nem conseguir gerar novas oportunidades.

O grande problema é que quase não se pensa em comunicação de forma estratégica, ficando só naquela história de cartãozinho, folhetinho, bannerzinho… É muito mais que isso; tem que ser.

A maior preocupação que nós temos na Lounge é com os resultados dos nossos clientes e como podemos ser ainda mais úteis para o crescimento de cada empresa que cuidamos. Marketing precisa ser pensado, analisado, planejado de forma precisa para não jogar dinheiro fora.

Hoje, 62% dos nossos clientes são líderes de mercado e 74% aumentaram o investimento em mídia depois que começaram a trabalhar conosco, e por isso podemos afirmar sem medo que ninguém está disposto a investir em algo que não oferece resultado.

Por isso, é preciso de gente que entende mesmo do assunto para pensar em uma comunicação que funcione, traga o retorno esperado e gaste o mínimo possível para isso. A maioria dos empreendedores não tem tempo, talento ou até mesmo disposição para pensar nisso e é justamente aí que a gente entra.

Contamos com um time multidisciplinar capaz de perceber o marketing de diversas perspectivas diferentes e pensá-lo exclusivamente para as necessidades de cada empresa.

Em tempos de crise os obstáculos são os mesmos para todos, a diferença é que uns ficam pelo caminho enquanto outros saem na frente e chegam ao topo.

Caso esteja pensando em sair na frente e chegar ao topo, ligue pra gente. Será um prazer guiá-los até lá!

Rubens Macouff - Graduando em Jornalismo e proprietário da Lounge Comunicação e Marketing
Rubens Macouff – Formado em Marketing Estratégico pela Fundação Getúlio Vargas, Graduando em Comunicação e Diretor da Lounge Comunicação e Marketing.

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp