COMPARTILHAR
Fotos: Polícia Civil
Continua depois da publicidade .

Os materiais estavam em galpões de Lagoa da Prata, situados nos bairros Gomes, São José e Sol Nascente

Ontem (2), a Polícia Civil de Lagoa da Prata recebeu uma denúncia de que havia dois veículos Fiat Fiorino transportando drogas. Os carros foram interceptados na cidade de Luz.  Quatro policiais de Lagoa da Prata e quatro de Luz desencadearam a operação que culminou na maior apreensão de material contrabandeado no município.

Por meio dos autores interceptados, a polícia realizou a maior apreensão de carga contrabandeada. “Ao chegarem em Luz, as duas Fiorinos estavam cheias de cigarros. Encontramos algumas chaves dentro desses veículos. Perguntamos os suspeitos, pai e filho, que estavam em veículos diferente, e eles disseram que as chaves eram de alguns galpões na cidade de Lagoa da Prata. Nós diligenciamos aqui durante a tarde e conseguimos localizar esses galpões. Através das chaves localizamos aproximadamente mil e quinhentas caixas de cigarro contrabandeadas do Paraguai”, revelou o delegado Vinícius Machado.

Delegado de Lagoa da prata, Vínícius Machado
Continua depois da publicidade .

Segundo o delegado a carga, que foi avaliada em torno de 3 milhões reais,  estava em três galpões localizados na rua José Vital, bairro Gomes; na rua Olegário Maciel, no bairro São José, e na rua Urias de Castro, no bairro Sol Nascente. Machado ainda destacou que os suspeitos não deram maiores informações sobre a carga e, por isso, há a suspeita de que os galpões tenham sido alugados por “laranjas” para dificultar a real identificação dos autores.

O material apreendido será encaminhado à Receita Federal e os suspeitos serão indiciados por crime de sonegação fiscal e contrabando.  “Essa carga será periciada pela Polícia Civil. Vamos reunir em duas carretas e encaminhar para a Receita Federal ou Polícia Federal, para posteriormente ser incinerada”, disse Vinícius.

O delegado ainda destacou que não é possível, até o momento, dizer que que trata-se de uma organização criminosa devido a quantidade de presos. “Até agora são somente o pai e o filho, então, não dá pra dizer que configura formação de quadrilha, mas não descartamos essa possibilidade. É difícil até de andar na casa de tanta caixa de cigarros do Paraguai. Os imóveis estão alugados em nome de laranjas”.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp