COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Foto: Cássio Moreira/Codevasf

Cerca de 43 mil habitantes de Minas Gerais já foram beneficiados em 2013 com a entrega das obras de esgotamento sanitário implantadas em Buenópolis, Icaraí de Minas, Francisco Sá e Jequitaí pela Companhia de Desenvolvimentos dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Continua depois da publicidade.

Até o final deste ano, mais de 57 mil moradores de São João do Pacuí, Ibiaí e Lagoa da Prata também serão beneficiados. Os investimentos nessas ações somam R$ 67,3 milhões em recursos da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

Cássio Moreira/Codevasf

No início de 2013, a Companhia entregou o SES de Francisco Sá, onde foram investidos R$ 8,1 milhões para beneficiar 24,9 mil pessoas, e a primeira etapa do esgotamento sanitário de Jequitaí, com investimentos de R$ 7,8 milhões. Quando a segunda etapa de Jequitaí for concluída, oito mil pessoas deverão ser atendidas. A previsão é que até o final deste ano outros três municípios de Minas Gerais recebam os sistemas de esgotamento. Serão mais de 57 mil pessoas beneficiadas em São João do Pacuí, Ibiaí e Lagoa da Prata. Os investimentos nessas obras são de cerca de R$ 40,9 milhões.

As obras de esgotamento sanitário são uma das ações prioritárias da Codevasf no âmbito do Programa de Revitalização das Bacias Hidrográficas do São Francisco e do Parnaíba. “Ao mesmo tempo em que elimina focos de poluição e melhora as condições sanitárias locais, o sistema de esgotamento sanitário contribui para a conservação dos recursos naturais e aumenta a disponibilidade hídrica”, explica Pedro Henrique Vilanova, engenheiro civil e chefe da Unidade de Empreendimentos Socioambientais da Gerência de Revitalização de Bacias Hidrográficas, da 1ª Superintendência Regional da Codevasf, em Montes Claros (MG).

A infraestrutura do sistema de esgotamento sanitário de Buenópolis conta uma estação de tratamento de esgoto (ETE), composta por um reator anaeróbio, uma lagoa facultativa, leito de secagem de lodo e queimador de biogás; duas elevatórias de bombeamento e uma com tratamento preliminar; 3.150 metros de rede coletora/interceptor; e 276 ligações prediais de esgoto. O investimento foi de aproximadamente R$ 6,2 milhões.
Já em Icaraí de Minas, o SES recebeu recursos de R$ 4,3 milhões para a construção de 23.200 metros de rede coletora, 855 ligações domiciliares e uma ETE, composta por duas lagoas anaeróbicas, uma lagoa facultativa e três lagoas de maturação.

O esgoto, quando não recebe tratamento adequado, pode causar sérios prejuízos à saúde pública, por meio da transmissão de doenças, além de poluir rios e afluentes, afetando a vida vegetal e animal. “Os SES implantados pela Codevasf reduzem o despejo de esgoto sem tratamento nos rios, pois os sistemas possuem a capacidade de coletar, tratar e devolver ao meio ambiente uma água de melhor qualidade”, destaca Pedro Henrique Vilanova.

Após a conclusão das obras, a Codevasf repassa os sistemas de esgotamento sanitário às prefeituras municipais, que ficam responsáveis pela operação e manutenção. Em Buenópolis e Icaraí de Minas, as prefeituras concederam à Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa MG), empresa pública estadual, o direito de operar os sistemas em cada município.

“Vamos melhorar a qualidade de vida da população de Buenópolis tirando o esgoto das ruas e das grotas e, assim, não poluindo mais o meio ambiente. Além do impacto na saúde, vamos poder impulsionar o turismo e a pesca, já que a cidade fica na beira do rio” afirma o prefeito de Buenópolis, José Alves.

 Fonte: Comunicação Codevasf

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp