COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade .

Um grupo de mulheres da sociedade civil organizada compareceu na tarde desta quarta-feira (26) à Câmara Municipal de Divinópolis para realizar a entrega de uma moção de repúdio. Elas pedem a aplicação da Lei Maria da Penha no caso do vereador Rodyson Kristnamurti (PSDB), suspeito de agredir a noiva.

O grupo, composto por mulheres que se identificaram com a causa – algumas envolvidas com política e outras não, aguarda que o documento seja lido na reunião ordinária dos vereadores nesta quinta-feira (27) e prometem voltar ao Legislativo com faixas de protesto. O presidente da Câmara, Rodrigo Kaboja (PSL), informou por telefone ao G1 que não teve acesso ao documento porque está no distrito de Divinópolis, Santo Antônio dos Campos, verificando um problema, e que só vai se pronunciar nesta quinta-feira, após se informar do que se trata.

Continua depois da publicidade .

A médica e ex-vereadora Heloísa Cerri faz parte do grupo que conta com representantes do Conselho da Mulher Empreendedora e do Partido Verde (PV). Ela afirmou que a moção é a sociedade pedindo ajuda. “A violência contra a mulher está cada vez mais grave, a lei existe, mas não é cumprida. A impunidade faz com que os agressores sejam reincidentes, e as mulheres ficam com vergonha de denunciar. Resolvemos tomar essa atitude, e o mínimo que esperamos é que o nosso manifesto seja lido nesta quinta-feira na Câmara Municipal”, explicou.

Após a entrega da moção, o grupo, que ganhou também integrantes do sexo masculino, se dirigiu em caminhada com faixas até à praça da Catedral.

Já o vereador suspeito de violência contra mulher está afastado da Câmara desde o dia 20 de fevereiro. Ele apresentou um atestado de saúde com prazo de 15 dias, o qual informa quadro de gastrite crônica.

Fonte: g1/centrooeste

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp