COMPARTILHAR
Ilustração
Continua depois da publicidade .

Em Lagoa da Prata, segundo a secretaria de saúde, meninos entre 12 e 13 anos devem procurar uma Unidade de Saúde para se vacinar

A ampliação da vacina contra HPV (papilomavírus humano) para meninos pelo Ministério da Saúde iniciada essa semana no Brasil é uma nova etapa na estratégia de diminuir as doenças sexualmente transmissíveis pelo vírus. A partir de 2017, seis milhões de doses estarão disponíveis, nas unidades da rede pública brasileira, para meninos de 12 e 13 anos. Em Lagoa da Prata, segundo a secretaria de saúde, meninos dessa faixa etária devem procurar uma Unidade de Saúde para se vacinar.

Bastante frequente e presente em cerca de 80% dos indivíduos com vida sexual, o HPV é um vírus que tem potencial para causar doenças em ambos os sexos. A vacina distribuída no SUS é quadrivalente, protegendo contra quatro tipos de HPV: o 6, o 11, o 16 e o 18. O vírus tem mais de 100 variações. A grande maioria não traz prejuízos à saúde.

Continua depois da publicidade .

No caso da vacina, os tipos 6 e 11 estão ligados ao surgimento de verrugas genitais em 90% dos casos. Já os 16 e 18 se relacionam a 70% dos casos de câncer de órgãos genitais como colo de útero, vulva, vagina e pênis. Kfouri conta que o HPV é um vírus independente, assim como outros, como o da gripe, da hepatite e Aids. A contaminação pode até ser feita pelo contato de pele, mas a grande maioria dos casos é decorrente de relações sexuais.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp