COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.
Lutador repassa experiência de três mundiais a alunos em Lagoa da Prata e enfrenta desafios para conseguir montar equipe. A última disputa aconteceu neste domingo

 

 

Continua depois da publicidade.

O sonho de muitos esportistas é ganhar um mundial, participar de times da elite, representar o país e carregar o troféu da vitória. Mas para um lutador do Centro-Oeste, além das conquistas, a maior vitória é repassar os conhecimentos e experiências para alunos por meio de aulas. Marcos “Fejão” Francisco de Melo já consagrou-se campeão mundial de jiu-jítsu por três vezes e atualmente vem formando atletas na própria academia.

Hoje sinto uma sensação boa ao saber que consegui competir e chegar ao topo mais alto da carreira, que é ser campeão mundial, e saber que pude contribuir para que muitos atletas fizessem sucesso em sua carreira

“Comecei a praticar esportes aos seis anos de idade, quando praticava karatê, mas aos 26 anos conheci o jiu-jítsu através de um amigo. Gostei e decidi seguir carreira. Na época, havia muitos campeonatos e queria competir. Hoje sinto uma sensação boa ao saber que consegui competir e chegar ao topo mais alto da carreira, que é ser campeão mundial, e saber que pude contribuir para que muitos atletas fizessem sucesso em sua carreira”, explicou o lutador, que hoje tem 46 anos de idade.

Marcos começou a carreira “voando baixo”. Logo na primeira competição, a Copa Pitbull, realizada em Divinópolis no ano 2000, o atleta foi campeão. Seis anos mais tarde, veio a disputa do mundial, que reunia somente atletas de alto nível. Veio o frio na barriga, mas o atleta entrou no tatame e mostrou habilidade. Primeiro mundial disputado, primeiro título conquistado. E não foi o único. Em 2009 e 2014 o atleta conseguiu o bi e o tricampeonatos mundiais de jiu-jítsu.

Já estive em diversas capitais do país, iniciando o jiu-jítsu com as pessoas, mas em Lagoa da Prata foi difícil. Consegui trazer o esporte, mas tive uma rejeição por parte das pessoas. Ainda não entendo o motivo, mas sempre mantive a humildade e continuei com o projeto.

Mas o sonho de lutadores não é feito somente de títulos. Em 2010, Fejão iniciou a própria academia na cidade de Lagoa da Prata. De acordo com o lutador, a academia atualmente tem cerca de 70 alunos. Mas Marcos afirma que o caminho até popularizar o esporte na cidade foi complicado.

“Já estive em diversas capitais do país, iniciando o jiu-jítsu com as pessoas, mas em Lagoa da Prata foi difícil. Consegui trazer o esporte, mas tive uma rejeição por parte das pessoas. Ainda não entendo o motivo, mas sempre mantive a humildade e continuei com o projeto. Hoje temos vários alunos, muitos deles campeões brasileiros e mundiais. Ainda temos algumas dificuldades, mas trabalhamos para passar por cima disso”,  afirmou.

Apesar dos 46 anos, Marcos ainda afirma ter gás para as competições. Ele segue a preparação para a Sul Mineira de Jiu-jítsu, que será realizada neste domingo, em Pouso Alegre e depois inicia preparação para a Liga Mineira de Jiu-jítsu, em Caxambú.

INSPIRAÇÃO

A fama de Marcos também serve de inspiração para os alunos. Um deles é Wesley José Damasceno, de 36 anos. O atleta é faixa preta e conseguiu ser vice-campeão brasileiro e mundial e quer manter o ritmo para que o título chegue rápido.

“Comecei no jiu-jítsu em 1998, através de um amigo que já praticava o esporte e quis conhecer a fundo as características da luta. Aprendi muito da parte da base e da educação que o esporte exige. Através da experiência, ele (Marcos) vem passando seus conhecimentos para mim, corrigindo alguns pontos e demonstrando o que tenho que fazer para melhorar. Ele acreditou no sonho dele e hoje está colhendo os frutos, se serve de inspiração para nós”, afirmou.

Academia começou em 2010 e já tem formado atletas de destaque
Academia começou em 2010 e já tem formado atletas de destaque

Fonte: Globo Esporte

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp