COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Nesta época, a negociação e a busca por melhores preços torna-se necessário. Em Lagoa da Prata, a prática de negociação já é bastante comum nas lojas de materiais escolares

A volta das férias é alvo de preocupação para os pais no que se diz respeito a materiais escolares, principalmente, em momento de crise econômica. Em Lagoa da Prata, alguns objetos chegam a ter uma variação de mais de 37%, conforme pesquisa feita pelo Jornal Cidade.

Segundo a administradora, sócia e gerente da Solar Papelaria e Presentes, Patrícia Bernardes, se olhar sob a ótica do consumidor os valores não subiram tanto assim. “Houve um aumento num imposto que era de 9% e passou para 20 %. Mas o aumento final no produto, foi de mais ou menos 15%”, frisou.

Patrícia Bernardes – administradora, sócia e gerente da Solar Papelaria e Presentes
Continua depois da publicidade.

NEGOCIAÇÃO E DESCONTOS

Pedir descontos já é uma prática que os consumidores lagopratenses têm adotado e, segundo, Patrícia, a loja já possui 47 anos de experiência, o que de certa forma, lhe garante se adequar ao momento da economia do país.

Flávia Castro, psicóloga e mãe do aluno Pedro Elias, da Escola Estadual Dona Tilosa, afirma que a cada ano o aumento dos valores dos materiais é perceptível. “Pesquiso preços e compro cadernos mais baratos, mas que tenham qualidade semelhante aos outros. Outra estratégia é na hora de comprar lápis, lápis de cor, canetinhas, por exemplo, sempre escolho um material melhor, porque apesar de ser mais caro tem maior duração do que aquele mais barato”, explicou.

Flávia Castro, psicóloga e mãe do aluno Pedro Elias, da Escola Estadual Dona Tilosa

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp