COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Quem trafegou pelas ruas de Lagoa da Prata hoje teve a sensação de que o mundo iria acabar. Parecia que todos os proprietários de veículos decidiram abastecer ao mesmo tempo. Na falta de gasolina em um posto, o motorista corria freneticamente a outro em busca do eldorado precioso. E nesse trajeto, não raras vezes, havia muito tumulto e corre-corre.

O Jornal Cidade conferiu a situação em todos os postos de combustíveis. Registramos a falta de gasolina em pelo menos três. Na ocasião, também fizemos o levantamento do preço praticado nas bombas, que você poderá comparar a partir da próxima edição.

Continua depois da publicidade.

A paralisação dos caminhoneiros, responsável pelo bloqueio de dezenas de rodovias em todo o Brasil, pode aumentar o desabastecimento de combustíveis e o risco de perda de cargas perecíveis, congelados e hortifrutigranjeiros. Há o temor também de que possa prejudicar os usuários do sistema de saúde e até a segurança pública, uma vez que ambulâncias e viaturas policiais podem ficar paradas por falta de combustível.

Entre os motivos para a greve está a diminuição do valor do combustível, criação de uma tabela única para o preço do frete, obras de melhoria nas rodovias, alterações na Lei dos Caminhoneiros e isenção de pedágios para eixos suspensos.

A Advocacia Geral da União (AGU) pediu que a Justiça conceda liminar (decisão provisória) para que as estradas sejam desbloqueadas e para que seja imposta ao Sindicato dos Caminhoneiros uma multa de R$ 100 mil por cada hora em que a decisão for descumprida.

O estudante Gabriel Ferreira era um entre as dezenas de motoristas que, pacientemente, aguardaram na fila formada na rodovia MG-170 o seu momento para abastecer o veículo. “Está difícil. Vamos ter que andar a pé. Os caminhoneiros estão todos parados, mas não acho ruim. Tomara que eles fiquem lá. Se o país parar será complicado, pois nem a Dilma está dando conta de nos responder”.

Está difícil. Vamos ter que andar a pé. Os caminhoneiros estão todos parados, mas não acho ruim. Tomara que eles fiquem lá. Se o país parar será complicado, pois nem a Dilma está dando conta de nos responder

O comerciante Tiago lamentou a situação. “É impressionante que o Brasil funciona com especulação. Tudo que rola todo mundo sai louco. Essa manifestação tem dois lados. Tem o lado da população, que é prejudicada e desfavorecida. E tem o lado do transporte. Se forem repassar todos os custos do transporte para alimentação, a gente vai enrolar”.

Durante a gravação da reportagem, diversos motoristas passavam e gritavam “Fora Dilma”. A situação da presidente só piora. Ela sobreviveu, durante a campanha eleitoral, ao escândalo de roubos e desvios de recursos da Petrobrás por políticos e empreiteiros. A situação piorou com os recentes aumentos de preço dos combustíveis e ao aumento de impostos que sacrificaram principalmente os mais pobres.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp