COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

O famoso Festival “Comida di Buteco”, concurso realizado entre botecos, pode se tornar patrimônio cultural do Estado. Esta é a ideia dos deputados João Alberto (PMDB) e Fred Costa (PEN). O concurso foi criado no ano 2000, para resgatar e estimular a cozinha de raiz. Nesta quarta-feira, 14, o Projeto 2878/2015 teve parecer favorável na Comissão de Constituição e Justiça. Para ir a votação no plenário precisa passar também na Comissão de Cultura. Os parlamentares argumentam que o concurso, que se iniciou em Minas Gerais, ganhou relevância no contexto nacional da gastronomia e entretenimento, colocando a cidade no radar dos turistas apaixonados por roteiros ligados à culinária.

Segundo o deputado João Alberto o concurso é um estímulo na economia. “Este evento já se consolidou em Minas Gerais e ganhou patamares fora do Estado e pode ser considerado uma das mais efetivas e importantes ferramentas de divulgação da cozinha de raiz e dos botecos no Brasil e no exterior e de inclusão socioeconômica do pequeno negócio familiar“, frisa, lembrando que os estabelecimentos e seus proprietários ganham notório reconhecimento por parte do público e mídia.

Continua depois da publicidade.

Um dos autores do PL, o deputado estadual Fred Costa avalia que “com aproximadamente 14 mil estabelecimentos do ramo, Belo Horizonte é a cidade com o maior número per capita de bares do Brasil, e por isso a capital mineira é o palco perfeito para o “Comida di Buteco”. Podemos considerar a referência cultural e o potencial turístico do evento, e acredito ser mais do que justo chancelarmos o concurso como patrimônio cultural de Minas Gerais”, disse o parlamentar.

O “Comida di Buteco” contribui para a consolidação da cozinha brasileira como patrimônio imaterial, na medida em que explicita talentos e histórias regionais e traz público, crítica e imprensa para validarem conjuntamente essas performances. Acompanhe os trâmites do PL:http://goo.gl/wL6CwU.

Desde o ano de 2008, o concurso começou a ser realizado em outras localidades, além de Belo Horizonte. A partir de 2011, todas as cidades passaram a realizar o concurso simultaneamente, estabelecendo o período entre abril e maio como o mês do Comida di Buteco em todo o Brasil. Isso contribuiu na consolidação do período como destino turístico e como elemento de incremento de faturamento nos botecos em período de baixa sazonalidade no setor. Em 2015 o concurso foi realizado em 20 cidades brasileiras, gerando nas demais cidades a mesma performance socioeconômica da cidade origem. Assim, chega a todas as cinco regiões do Brasil, tornando-se de fato o único concurso nacional de cozinha de raiz e sendo realizado com 500 botecos participantes nas cidades de Belo Horizonte, Montes Claros, Uberlândia, Juiz de Fora, Vale do Aço e Poços de Caldas, no Estado de Minas Gerais; São Paulo, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Campinas, no Estado de São Paulo, além de Rio de Janeiro, Goiânia, Brasília, Recife, Salvador, Fortaleza, Belém e Manaus.

Diretor geral do “Comida di Buteco”, Ronaldo Perri apresenta números que impactam economicamente na cidade como um todo. “O Festival dá visibilidade nacional e internacional aos botecos e à cidade, mudando a vida desses empresários e de suas famílias“, aponta. Veja os indicadores de 2015:

Cadeia de ValorVotosPetiscos
Empregos gerados
Mídia espontâneaPúblicoTuristas
110 milhões430 mil390 mil4.600R$50 milhões4 milhões de pessoas em cada cidade40 mil

Por: Assessoria de Imprensa do Deputado João Alberto.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp