COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.
Empresa investe na capacitação e oferece pacote de benefícios aos colaboradores

A desaceleração da economia brasileira, com a alta da inflação e do desemprego, colocou muitos municípios em dificuldade, sendo obrigados a cortarem serviços básicos e atrasarem os pagamentos aos fornecedores. Lagoa da Prata, se comparada às cidades da região, sentiu com menos intensidade os reflexos da crise econômica devido à presença de grandes indústrias e de um comércio bem estruturado.

A Biosev – segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo – é uma das principais empresas que contribui para manter a oferta de empregos no município. Com o início da safra 2016, a companhia está gerando diretamente 1850 postos de trabalho somente em Lagoa da Prata – 100 deles estão ocupados por mulheres (31 na indústria, 48 na agrícola e 21 no administrativo). A empresa também investiu em modernização, novas práticas agrícolas, na formação de equipes e a na capacitação dos colaboradores para impulsionar os resultados da safra 2016.

Continua depois da publicidade.

A Biosev adotou a política de reconhecer e valorizar o seu recurso
mais importante, que é o capital humano, ou seja, as pessoas que trabalham na empresa. Conforme função exercida, os colaboradores recebem um pacote de benefícios que inclui assistência médica, vacinas, subsídio para despesas com farmácia, transporte fretado, vale-transporte, vale-refeição, cesta básica, previdência privada, participação nos lucros e subsídio para educação.

Estudos ao redor do mundo estabeleceram uma relação direta entre produtividade e motivação, afirmando que colaboradores felizes geram resultado acima da média. A reportagem do Jornal Cidade conversou com vários funcionários do parque industrial da Biosev e pôde comprovar que estão compromissados e entusiasmados em cumprir a meta de 2016, que é gerar a melhor safra da história da indústria.

Leia, a seguir, a história de três lagoprateses que fazem carreira sólida na Biosev.

INVESTIMENTO NA SAÚDE E SEGURANÇA DOS COLABORADORES

Jaques de Oliveira Gonçalves
Jaques de Oliveira Gonçalves

O torneiro mecânico Jaques de Oliveira Gonçalves, 47 anos, é um dos colaboradores com mais tempo de casa. Ele foi admitido na empresa em 3 de setembro de 1982 e completará 34 anos de serviço em 2016. “Considero que sou um funcionário exemplar por estar na empresa há tantos anos. Entrei como aprendiz quando tinha 13 anos. Já aposentei, mas continuo trabalhando”, gaba-se. Gonçalves conta que foi admitido na empresa por intermédio do seu pai, que era inspector geral da antiga usina. Gonçalves diz que muitas coisas mudaram dentro da empresa nos últimos anos, principalmente na questão da segurança dos colaboradores. “Sou o funcionário mais antigo sem acidente. Eu trabalho com cuidado e sempre estou atento para que acidentes não aconteçam. Temos que prever as situações. A Biosev investiu muito na segurança e em treinamentos para os colaboradores”, afirma.

Além do investimento em capacitação, o torneiro acrescenta que o plano de saúde oferecido pela empresa faz a diferença na vida dos colaboradores. Ele lembra do drama vivido por um colega de trabalho. “Há muitos anos, a filha de um colega de trabalho tinha uma doença rara e a cirurgia custaria mais de 70 mil reais. A menina fez todo o tratamento no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, e tudo foi assistido pela empresa. Meu amigo não gastou um centavo. Ele ficou 45 dias no hospital com a filha e a usina pagou ele como se estivesse trabalhando”.

DA LAVOURA ATÉ O SETOR ADMINISTRATIVO

A trajetória de Claudiomar Evangelista Soares, 39 anos, mostra como a possibilidade de fazer carreira dentro da Biosev está ao alcance de todos os funcionários. Em 1994 ele iniciou os trabalhos no corte de cana.

Claudiomar Evangelista Soares
Claudiomar Evangelista Soares

Cinco anos depois foi efetivado como operador de balança. Em seguida atuou no controle agrícola e foi promovido ao cargo de coordenador de administração de materiais em janeiro de 2016. “As oportunidades na empresa são reais e acontecem sempre. O setor de recursos humanos dá toda a assistência. Quando precisa preencher uma vaga de chefia, a prioridade é dos colaboradores que já estão na empresa. Desde que comecei a
trabalhar aqui venho aprendendo e aperfeiçoando. Comecei a trabalhar e as oportunidades foram surgindo”, diz Soares.

O colaborador fala com entusiasmo do atual momento da empresa, da mudança da cultura organizacional e das perspectivas do resultado ao final da safra. “Acho que esse ano temos a possibilidade de ter a melhor safra de nossa história. Eu acredito no melhor e vemos esse clima nos corredores, nas reuniões e em conversas informais. Eu gostaria de registrar o meu agradecimento à empresa, pois a minha história profissional começou aqui. Foi aqui que trabalhei pela primeira vez com carteira assinada. O que eu tenho e o que a minha família tem (pai e irmãos também trabalharam na Biosev), foi graças à oportunidade que tivemos aqui”.

PORTAS ABERTAS PARA JOVENS TALENTOS

Tiago Almeida Lacerda
Tiago Almeida Lacerda

A Biosev mantém as portas abertas para ex-colaboradores que se destacaram. O engenheiro de produção Tiago Almeida Lacerda, 34 anos, está em sua segunda temporada de trabalho na empresa. Entre 2010 e 2013, atuou como planejador de custos e no início de 2016 foi convidado a assumir a coordenação agroindustrial, braço direito da superintendência.

O engenheiro reafirma a expectativa positiva com relação à safra deste ano. “Podemos bater vários recordes na produção de açúcar, álcool e energia. Tivemos um alto custo de manutenção nesta entressafra. Fizemos uma boa manutenção no maquinário e investimos muito. Agora é a hora de colher os frutos”, afirma.

Lacerda ressalta a importância da presença da Biosev para Lagoa da Prata. “Geramos mais de 1700 empregos diretos. Temos uma produção limpa e sem desperdício. Com o caldo da cana fazemos açúcar e álcool. E com o bagaço geramos energia e produzimos ração animal. Muita gente não sabe disso. É tudo limpo e
sustentável. Este ano a Biosev tem a oportunidade de mostrar a sua capacidade e, mais uma vez, contribuir para a melhoria da cidade. Fizemos altos investimentos para garantir a geração de emprego e produtividade nesse momento de crise. As expectativas são as melhores e vamos trabalhar para que isso aconteça”, finaliza.

box2

box1

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp