COMPARTILHAR
Foto: Polícia Militar
Continua depois da publicidade.

Além do autor do homicídio, foram presos mais três homens, que tinham mandado de busca e apreensão em aberto

Quatro jovens foram presos na zona rural de Lagoa da Prata na manhã de hoje (3). A operação ocorreu por meio de uma parceria entre a Guarda Civil Municipal e Polícia Militar de Lagoa da Prata.  Segundo a Polícia Militar, foram apreendidos dinheiro, balança de precisão e drogas. Dos quatro indivíduos, dois tinham mandados de prisões em aberto por homicídio e os outros por tráfico de drogas.

Um dos rapazes foi preso pelo assassinato ocorrido no dia 22 de abril, na rua Eduardo Pinto Ribeiro, no bairro Américo Silva. De acordo com o autor, em entrevista ao repórter Luiz Francisco, ele matou a vítima por legítima defesa. “Eu não tenho nada pra falar, não. Fui eu que matei, mas matei para não morrer. Só o matei porque ele bateu na minha cara e falou que ia pegar um revólver pra mim. Eu estava de boa e ele me bateu. Eu tinha um revólver, aí coloquei na cintura e antes dele vir correndo atrás de mim eu fui e atirei”, afirmou.

Continua depois da publicidade.

O autor ainda disse que quer pagar pelo que fez. “Ele foi abusado de bater na minha cara. Eu conhecia ele só de vista. Agora é pagar pelo que eu fiz”, disse.

De acordo o comandante da Guarda Civil Municipal, Emerson Silva,  a ação foi executada após intensos levantamentos de dados dos autores. “Fomos até o local e nos deparamos com três indivíduos, um que é suspeito de homicídio e que ele mesmo confessou, e outros dois que já estavam com mandado de busca e apreensão em aberto. Hoje, a população de Lagoa da Prata já pode ficar um pouco mais tranquilo porque tiramos das ruas três criminosos de alta periculosidade. No meio do caminho também prendemos outro autor que tinha mandado de busca e apreensão em aberto também”.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp