fbpx

Terceira dose: Ministério da Saúde amplia o público e diminui o intervalo entre aplicações

Estratégia de vacinação começou a ser praticada em setembro deste ano. Objetivo da dose adicional é reduzir ainda mais os números de óbitos e de internações pela Covid-19.

O Ministério da Saúde comunicou nesta terça-feira (16), que todos os brasileiros maiores de 18 anos poderão tomar a 3° dose da vacina contra a covid-19. Além disso, o intervalo de aplicação entre as doses diminuiu de seis para cinco meses. 

A aplicação da dose de reforço já era praticada desde setembro em idosos e imunossuprimidos. No entanto, diante da alta de infecções entre imunizados com as duas doses e, em razão de evidências científicas apontando que a proteção induzida pelas vacinas cai ao longo do tempo, esta nova etapa no cronograma de vacinação passou a ser cada vez mais defendida por especialistas. A intenção do Ministério da Saúde é aplicar o reforço em 103 milhões de pessoas até maio de 2022.

“Já tínhamos autorizado a aplicação desta dose de reforço, ou adicional, para todos aqueles que tinham tomado a segunda dose há mais de seis meses e que tivessem [mais de] 60 anos. Agora, graças às informações advindas dos estudos científicos realizados para avaliar a aplicação da terceira dose – e dos quais já temos dados preliminares -, decidimos ampliar esta dose de reforço para todos aqueles acima de 18 anos de idade que tenham tomado a segunda dose há mais de cinco meses”, comentou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

 

A terceira dose deve ser aplicada nos indivíduos elegíveis independente de qual imunizante eles tomaram nas duas primeiras aplicações. De acordo com a pasta, ainda, deve-se privilegiar a imunização heteróloga, ou seja, utilizar um imunizante diferente daquele aplicado nas primeiras doses. Entenda:

 

(Fonte: Ministério da Saúde/Reprodução)

 

O intervalo indicado para um indivíduo receber a dose adicional é de, pelo menos, cinco meses, a contar da data em que recebeu a segunda dose. O Ministério da Saúde também ressaltou que as pessoas que tomaram a vacina da Janssen deverão tomar a segunda dose do imunizante e, após cinco meses, a dose de reforço. 

O Jornal Cidade entrevistou as responsáveis pelas Secretarias de Saúde de Lagoa da Prata e de Santo Antônio do Monte, no início de novembro, sobre a dose de reforço. Margarete Borges Dias, da pasta de Lagoa da Prata, afirmou à época que a equipe de saúde da cidade já estava sendo vacinada com a dose de reforço da vacina contra a covid-19.  Comentou  também que a dose adicional é importante para todos, independente de qual vacina tenham tomado. 

Carla Santos, de Samonte, completou que, para o controle da pandemia, é impositivo aguardar que a recomendação da não obrigatoriedade do uso de máscara, e de outras medidas restritivas, seja feita pelos órgãos competentes. No início de novembro, a cidade já havia aplicado cerca de 400 doses de reforço. 

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄