fbpx

TERAPIA COGNITIVA: Entenda como seus pensamentos influenciam suas emoções e comportamentos

A Terapia Cognitiva, desenvolvida por Aaron Beck, propõe que nossos pensamentos influenciam nossas emoções e comportamento. De acordo com esse modelo de psicoterapia não é a situação vivenciada pela pessoa que determinará a maneira como ela se sentirá e se comportará, mas a maneira como ela interpretará (processará) tal situação. Ainda na infância, tão logo começamos a experienciar o mundo, iniciamos também um processo de abstração de ideias daquilo que vivemos. Vamos aos poucos desenvolvendo crenças sobre nós mesmos, sobre o mundo e o futuro. É com base nessas crenças que percebemos e compreendemos os eventos. Assim como a ponta de um iceberg, os pensamentos representam apenas a parte mais visível e acessível de uma estrutura na qual as crenças encontram-se na base. Por essa razão, apesar de o foco da terapia cognitiva iniciar-se com os pensamentos, ela segue com um trabalho voltado para as crenças.

Para exemplificar, imagine a seguinte situação. Marina, Thais e Sônia trabalham no mesmo setor da empresa X. Naquela segunda-feira, uma situação inusitada acontece. O Sr. Carlos, gerente do setor, chega à empresa um pouco atrasado, não cumprimenta nenhuma de suas funcionárias (ele normalmente costuma ser cordial), passa direto para a sua sala e fecha a porta de maneira brusca. Após o evento, Sônia pensa: “Quem o Sr. Carlos pensa que é pra me tratar mal assim? Ele é um grosso, sem educação”, e fica chateada com o chefe. Marina, por sua vez, pensa: “Meu Deus, devo ter cometido algum erro no relatório da semana passada, deve ser esse o problema. Ele vai me chamar na sala dele pra reclamar”, e fica ansiosa. Já Thais pensa: “O Sr. Carlos não é assim, deve estar com algum problema. Lembro-me de que há alguns dias ele comentou que estava tendo problemas em casa com o filho”, e se compadece da situação do chefe. Apesar de todas terem presenciado a mesma situação, cada uma teve uma maneira de perceber o evento e, essa percepção afetou a maneira como se sentiram em relação ao fato.

Um dos objetivos da terapia cognitiva é auxiliar o indivíduo na identificação e avaliação de seus pensamentos automáticos, reestruturando aqueles que se caracterizam como “disfuncionais”. Quando aceitos sem qualquer questionamento ou avaliação, os pensamentos automáticos podem influenciar e afetar negativamente o humor e comportamento do indivíduo. Em alguns casos o problema pode estar relacionado à inabilidade prática de solucionar problemas e este será o foco do atendimento. No entanto, há muitas situações em que a pessoa tem as habilidades necessárias para resolver o problema, mas as distorções cognitivas (interpretações distorcidas da realidade) lhe impedem de colocar em prática aquilo que já sabe fazer. Ocorre que, por apresentar um trabalho focado nos pensamentos, a terapia cognitiva tem sido injustamente confundida com processos de autoajuda, do tipo “pense positivo e resolva seus problemas”, quando na realidade não é nada disso. Apesar de ser uma modalidade de terapia com enfoque objetivo e breve, a Terapia Cognitiva (assim como as outras modalidades de psicoterapia) é um trabalho sério, que visa promover por meio do empirismo colaborativo, uma nova construção do sujeito frente à sua realidade.

Autora: Luciene Morais Batista – CRP 04-37799
Psicóloga Clínica – Especializando em Terapias Comportamentais e Cognitivas pela PUC Minas  Arquivo pessoal
Consultório: Rua Professor Jacinto Ribeiro nº 32, Centro, Lagoa da Prata – MG
Fones (37) 8842-4204  e 3262- 2132 
Psicóloga responsável pelo site Psicoharmonia. Visite www.psicoharmonia.com.br

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄