Senhora de 85 anos realiza decoração natalina em toda a casa e abre para visitação em Lagoa da Prata

Senhora de 85 anos realiza decoração natalina em toda a casa e abre para visitação em Lagoa da Prata

Decoração é tradicional na cidade e objetiva fortalecer significado e magia do Natal.

Reportagem: Matheus Costa

Para muitas pessoas, o Natal é apenas mais uma data do ano, mas para outras, é um dia para dar e ganhar presentes, festejar e celebrar. Há também aquelas que gostam da data pela mensagem religiosa que carrega. Mas para Maria José Pinto, de 85 anos, moradora de Lagoa da Prata, o Natal é mais que tudo isso. Apesar de ser uma data que a marcou muito por um acontecimento doloroso, ela faz com que este período seja especial e mágico aos olhos daqueles que enxergam o dia natalino, apenas como qualquer outro do ano.

O Jornal Cidade conversou com dona Maria José e durante toda a entrevista, ela ressaltou que, sobretudo, o significado do Natal é ajudar as pessoas e unir a família.

É de se emocionar o quanto esta senhora acredita na magia do Natal e o quanto a data pode transformar vidas. Em uma época que não se vê tanta decoração como antes e que as pessoas cada vez mais deixaram de viver o que o dia significa. Maria José é um exemplo para todos.

Ao chegar na Rua Francisco Bernardes Primo é fácil identificar a casa de dona Maria José de longe, decorada por todos os cantos, desde o lado de fora e telhado até a cozinha. Pisca-piscas de todas as formas e cores, uma coleção de papais noéis na estante, árvores de todos os tamanhos, com muitas bolas e enfeites, vários presépios, trenó e renas. Chegando lá, o mais significante é o carinho e o capricho da senhora de 85 anos com todo o projeto decorativo e a alegria dela em ver a quantidade de pessoas que ela é capaz de tocar. Segundo o seu filho, João Oliveira, ela chora todos os anos quando chega a hora de desmanchar e guardar a decoração.

Fotos: Gabriel Barbosa.

Por mais que seja trabalhoso e leva dias até que tudo seja arrumado, ambos deixam claro que tudo vale a pena depois.

“Quando ascendo todas essas luzes de Natal, para mim é a maior alegria da minha vida. E vai ser assim até quando Deus quiser”, ela contou.

Sem dúvidas é uma alegria que contagia. Quem entra na casa de Maria, consegue sentir o espírito natalino que emana dali; há uma certa emoção de ver toda a decoração que as pessoas infelizmente perderam o hábito de fazer.

Fotos: Gabriel Barbosa

Mas tudo isso tem um significado. Além de Maria trazer tudo o que aprendeu na infância sobre a decoração, ela também passou por um dos momentos mais difíceis de sua vida no dia 25 de dezembro entre os anos de 1992 e 1993. Sua filha estava na Itália quando o telefone tocou para dizer à Maria que ela tinha falecido no dia 8 de dezembro. Depois disso, foi apenas sofrimento. De acordo com o João Oliveira, levaram muitos dias para fazer o traslado do corpo para o Brasil, e o sepultamento só aconteceu no dia 25.

Netwise

“Mesmo depois de tudo o que passei, eu não desisto da minha fé porque enquanto eu viver, esta casa será enfeitada”, falou ela.

João conta também que fez questão de deixar a mãe tocar nesse assunto porque as pessoas perderam o espírito do Natal. “Essa data deixou uma cicatriz que nunca será curada principalmente para ela como mãe. Mas a força do renascimento, que é o que o natal prega, nessa casa vem de muito antes. E a maior grata surpresa de tudo isso foi que deu a outras pessoas a oportunidade de conhecer o Natal dessa forma. Pessoas que cresceram comigo, pessoas que passam e param para tirar fotos e que trazem os filhos para tal”.

Foto: Gabriel Barbosa.

Maria disse que há uma novena também, onde fazem amigo oculto, comem e se divertem. Ou seja, ela também preza pelas tradições natalinas que se vê menos a cada ano.

“Tem muita criança que vem conhecer o Natal aqui em casa, os próprios pais dizem. Muitos trazem fotos para mostrar que passaram a enfeitar a própria casa, pelo menos uma árvore de natal, por causa da minha mãe. É uma verdadeira farra”, finalizou João.

Com toda essa história linda, dá vontade de ter Natal todos os dias, e é por isso que essa magia não pode acabar, afinal, Natal é o resumo do espírito da doce amizade que brilha todo o ano. É consideração e bondade, é a esperança renascida novamente para trazer paz, entendimento e benevolência para os homens. Natal não é fim de ano, é recomeço, é nascimento, é a esperança de que um novo ano que se aproxima, é o desejo de ter conosco todas essas pessoas queridas fazendo parte de nossa vida.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄