Saae de Lagoa da Prata possibilita renegociação de dívidas e estuda aumento de tarifa

Saae de Lagoa da Prata possibilita renegociação de dívidas e estuda aumento de tarifa

Autarquia vem passando por dificuldades financeiras, trabalhando no limite entre receitas e despesas.

Na manhã desta sexta-feira (4), ocorreu uma coletiva de imprensa em Lagoa da Prata, para tratar sobre a atual situação do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) no município. A autarquia vem passando por dificuldades financeiras, trabalhando no limite entre receitas e despesas.

Thiago Souza, diretor adjunto do Saae, disse que os prejuízos já são recorrentes na autarquia. “O Saae tem arrecadado menos do que tem gasto. Isso está acontecendo tem um tempo. Em 2020, teve-se um prejuízo operacional de 3,3 milhões de reais. É preocupante, nos próximos seis meses, um ano, o Saae entrará numa situação muito crítica”.

Sem dinheiro para investimentos

Segundo o diretor adjunto, o Saae não possui dinheiro para investimentos e isso poderá impactar na população.

“Hoje, não temos dinheiro pra fazer investimentos. E isso, a médio prazo, prejudica a população como um todo. Estamos trabalhando no vermelho, com as despesas bem acima da receita, cerca de 300 a 400 mil reais. E mesmo com todas as medidas e planejamentos, estamos trabalhando no negativo”.

Souza também explicou que a pandemia influenciou na situação. “Tivemos um decreto em que dizia que em tempos de pandemia não poderia haver desligamentos, mas esses critérios não eram bem estabelecidos. Então, tratamos todos por igual. Hoje temos 2 milhões de reais em aberto com a população. Estamos buscando uma forma de solucionar isso, estabelecer critérios para aqueles que realmente não têm como pagar a tarifa, e sermos justos”.

Edimilson Lage, diretor geral do Saae, disse que assumiu a gestão já em situação delicada. “Assumimos a direção do Saae em janeiro e, juntamente com a equipe de administração da autarquia, chegamos em números assustadores. Sempre foi falado que havia uma saúde financeira sustentável, mas infelizmente não é a realidade. Fomos procurados pelo vereador Washington Felipe, que fez muito bem o seu papel de fiscalizar, e que também ficou muito assustado com os números”.

Lage informou que o vereador protocolou uma denúncia no Ministério Público perguntando o motivo de todos os gastos. “O Saae apresentou todas as respostas, o Ministério Público já tem todos os números e agora estamos aguardando o andamento dessa ação. Mas o Saae está numa situação muito delicada. Foram feitos estudos e, ao longo desses cinco meses fomos detectando onde foi empregado dinheiro e o motivo do Saae ter chegado nessa situação. Tudo que o Saae faz, demanda custo”.

Possível reajuste da tarifa

Edimilson ainda falou sobre reajustes.

“Tudo teve reajuste. Combustível toda semana, energia quase todo mês, e nós não temos reajuste desde 2017, mas antes disso, será feito um estudo sério junto ao órgão competente, que é a Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento Básico de Minas Gerais (Arisb-MG), e poderá levar um bom tempo ainda. O que não foi feito no passado, está influenciando na autarquia. E nós, como gestores do Saae, se não tivermos esse cuidado com o dinheiro público, vai faltar água. O último poço artesiano perfurado em Lagoa da Prata foi em 2018, e nem foi o Saae que fez. Temos vários loteamentos, que as pessoas têm direito a solicitar água. Temos bairros que aos finais de semana falta água. E isso por falta de investimento no passado. Estamos trabalhando como se fossemos cheques pré-datados, e vai chegar uma hora que vamos ter que escolher o que pagar”.

Renegociação para inadimplentes

Netwise

Lage informou que aqueles que possuem inadimplência com o Saae poderão regularizar a situação até o dia 30 de junho. “Procure o Saae para renegociar a sua dívida e regularizar a sua situação. Pois, a partir do dia 1º de julho a autarquia adotará as medidas cabíveis”, afirmou.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄