fbpx

Romeu Zema visita Lagoa da Prata e Japaraíba para discutir demandas dos municípios

Em Lagoa da Prata, uma coletiva de imprensa foi realizada no início da tarde do dia 9 de agosto.

Rhaiane Carvalho, Bárbara Félix e Matheus Costa

O Governador de Minas, Romeu Zema (Novo), esteve em Lagoa da Prata no dia 9 de agosto para tratar sobre diversos assuntos. Na ocasião, Zema foi recebido pelo prefeito Di Gianne Nunes que, juntos, realizaram uma visita no Hospital São Carlos, na ACE/CDL e empresas do setor produtivo.

Foto: Assessoria de comunicação da Prefeitura de Lagoa da Prata (divulgação)
Foto: Assessoria de comunicação da Prefeitura de Lagoa da Prata (divulgação)
Foto: Assessoria de comunicação da Prefeitura de Lagoa da Prata (divulgação)
Foto: Assessoria de comunicação da Prefeitura de Lagoa da Prata (divulgação)

Pautas como a implantação de uma unidade do Senai para qualificar a mão de obra para a indústria e formar jovens aprendizes, implantação de uma unidade do Corpo de Bombeiros no município, investimentos em infraestrutura logística, e rodovia para atração de novos negócios.

Em Lagoa da Prata, Zema reforçou o motivo de sua visita à cidade. “É estar próximo do gestor municipal, estar com o setor produtivo. Visitei uma empresa que vai investir mais de 20 milhões e criar mais empregos e terei uma reunião com comerciantes industriais e representantes do setor rural, porque é uma obrigação do Estado eliminar qualquer dificuldade que o setor produtivo tem. O Estado nos últimos anos em Minas Gerais, foi pródigo em criar obstáculos e dificuldades para quem investe. Eu, que venho do setor produtivo, sei muito bem disso. Um exemplo muito claro é a Cemig, que nos últimos 20 anos investiu muito mais na Bahia, Norte e Rio de Janeiro do que em Minas Gerais. E nós estamos agora fazendo exatamente o caminho inverso porque o mineiro ficou sem energia elétrica. Uma reclamação generalizada que ouço em todas as cidades que visito é ‘Eu quero mais energia’. A Cemig pede dois, três, quatro anos quando dá prazo para ela entregar essa energia, e isso não acontece em outros estados onde o fornecimento poucos meses depois está disponibilizado. Então estamos corrigindo isso, estamos simplificando a legislação tributária, a regulamentação ambiental para que o empreendedor não fique esperando a burocracia do Estado, nem gastando rios de dinheiro com a contratação de consultorias”, disse.

O Executivo do Estado também visitou o município de Japaraíba, mais especificamente, a Escola Padre Pedro Lambert, que foi premiada várias vezes, inclusive, nas Olimpíadas Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). Na ocasião, Zema se reuniu, assim como em Lagoa da Prata, com o prefeito interino Écio Veloso, vereadores e representantes de setores econômicos para discutir as principais demandas dos municípios.

No mês passado, o Governador esteve também em Arcos e Formiga. Ele se reuniu com representantes do setor produtivo atingidos pela seca do Lago de Furnas, em Formiga. Em Arcos, deu início à implantação do ‘Alô, Minas!’. O projeto será implantado em Arcos e em oito distritos e localidades da região. Com o ‘Alô Minas!’, mais de 6.500 mil pessoas passarão a ter cobertura de telefonia móvel e internet com tecnologia 4G.

Coletiva

Em Lagoa da Prata, uma coletiva realizada no início da tarde do dia 9 de agosto, seguiu na forma de perguntas feitas pela imprensa local e respostas do Governador, confira:

 Na sua campanha, o senhor esteve aqui (em Lagoa da Prata) por duas vezes, a sua votação também foi bastante expressiva, e a gente percebe um carinho muito grande seu por parte da cidade. Diante dessas demandas que foram apresentadas pelo prefeito Di-Gianne, especialmente no tocante da educação, questão da segurança com pedido de reforço pelo Corpo de Bombeiros. Quais são as possibilidades de atendimento pelo Estado, sob quais outras questões o Estado pode lançar sobre a nossa cidade?

Zema: Bom, eu quero lembrar que nós temos ido de degrau por degrau. O prefeito Di Gianne sabe que nós temos pago todo mês a dívida referente à última gestão que não fez os repasses aos municípios. Não tenho ideia exata, mas eu penso que em uma cidade forte como Lagoa da Prata deixaram 20 milhões pra mais que nós estamos devolvendo para a cidade que foi tirado indevidamente. E 20 milhões dá para estruturar adequadamente melhor a área da saúde, dá para fazer pavimentação, dá para comprar medicamentos. Então o Governo do Estado tem contribuído, e assim que nós terminarmos essa dívida nós vamos ter a dívida da saúde que também será paga. Hoje nós somos o “Governo Pagador de Dívidas”, e com o acordo da Vale, nós vamos ter condições de fazer investimentos em todo o Estado. Serão mais de mil quilômetros de rodovias estaduais que serão recuperadas, saneamento básico em todas as cidades da Bacia do Paraopeba, a construção do anel em Belo Horizonte que vai beneficiar toda a população do Estado que faz uso daquela área para poder viajar. E ainda a questão dos hospitais regionais, lembrando que aqui, quando se trata de alta complexidade as pessoas costumam se dirigir para Divinópolis, que será uma das cidades que serão comtempladas com a conclusão do hospital regional. E queremos, sim, trazer muito mais. Estive agora a pouco com o Coronel da Polícia Militar (PM) aqui da região que me informou um reforço, uma melhora estruturação da segurança na zona rural. E os nossos índices de segurança só tem melhorado praticamente semestre após semestre desde que nós assumimos. E à medida que a condição financeira permitir, com certeza nós estaremos aqui para trazer mais coisas.

 Na questão da segurança pública hoje no Estado, mas em especial em Lagoa da Prata, nós não temos muitos delegados. Não temos investigadores e detetives e quando vamos fazer nossa carteira de identidade, não tem papel, e quando tem papel, não tem funcionário. O que poderia ser feito, em investimento à segurança pública para que o lagopratense possa se sentir melhor, em especial à delegacia de Polícia Civil (PC) em nossa cidade?

Zema: Pelo seu relato, está faltando aí alguma melhoria de processo interno, porque não ter papel é algo que não é correto, e não ter gente é a mesma coisa. Então vamos estar verificando, mas nós tivemos agora a conclusão de um curso com mais de quinhentos profissionais da Policia Civil — delegados, escreventes — que vão estar equipando melhor todas as regiões do Estado, apimentando o efetivo. Vamos ter um concurso público de mais de 1.800 investigadores, escreventes, depois de quase seis anos, nesta última sexta-feira em que nós colocamos em dia o pagamento do servidor público do Estado de Minas. Nós temos que ter responsabilidades; contratar e fazer concursos é muito fácil, agora ter dinheiro para pagar depois é outra história. E eu tenho o tipo de gestão que é o seguinte: é fazer o que é possível. Eu não fico inaugurando “faz de conta” obras. O que nós estamos fazendo é reduzir os cemitérios de obras inacabadas em que o Estado se transformou. E não faz parte da minha pauta fazer “auê” e deixar as coisas pelas metades ou mal feitas. Então, nós vamos fazer um trabalho consistente. Agora o que eu quero deixar claro é o seguinte: a criminalidade no Estado nunca foi tão baixa quanto no nosso Governo. Isso quer dizer que estamos evoluindo apesar das falhas relatadas.

A volta às aulas é um anseio e ansiedade da população de estar retornando. A Escola Estadual Virgínio Perillo do município, Lagoa da Prata não teria condições, mas graças ao projeto “Mãos à Obra” com auxílio do nosso deputado, mais de meio milhão foi investido e agora as aulas vão voltar graças ao projeto.

Zema: O projeto “Mãos à Obra” está reformando ou já reformou mais de três mil prédios escolares. Os prédios do Estado estavam em uma situação deplorável e nós vamos agora ter condições de dar aos alunos prédios condizentes. Estamos priorizando aqueles prédios que precisam mais, e além disso, vale lembrar que nós melhoramos a merenda, melhoramos a verba de custeio e manutenção das escolas e toda professora e diretora é testemunha disso, melhoramos também a avaliação do aluno, que é o principal, que estava estagnada há mais de dez anos em Minas Gerais.

 “Lagoa Livre Pra Crescer” é um programa de referência ao “Minas Pra Crescer” do Estado e a gente gostaria de saber quais são as ações de incentivo do Estado para esse programa aqui no município.

Zema: Desde que eu assumi e durante a minha campanha mesmo a minha maior pasta sempre foi atrair investimento e gerar empregos em Minas. Nós sabemos que uma gestão melhor seria, como estamos vendo, capazes de melhorar a educação, saúde e a segurança; mas isso por si só não é suficiente. Adianta a pessoa ter acesso à saúde, ter segurança, ter acesso à educação se não tem renda? Então a renda faz parte da dignidade e o que nós estamos fazendo desde então é desburocratizar desde então, já simplificamos em muito as obrigações acessórias das empresas e temos agilizado todo o procedimento que o cidadão e o empresário dependem do Estado.

Foto: Assessoria de comunicação da Prefeitura de Lagoa da Prata (divulgação)
Foto: Assessoria de comunicação da Prefeitura de Lagoa da Prata (divulgação)
Foto: Assessoria de comunicação da Prefeitura de Lagoa da Prata (divulgação)
Foto: Assessoria de comunicação da Prefeitura de Lagoa da Prata (divulgação)

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄