Proprietários temem fechamento de seus estabelecimentos em Arcos

Proprietários temem fechamento de seus estabelecimentos em Arcos

Muitos garantem que o serviço de delivery não é o suficiente para a categoria e pedem por um plano de contingência específico para que possam reverter a crise instalada pelo novo coronavírus.

Proprietários de establecimentos comerciais de Arcos se reuniram no dia 7 de janeiro para que a prefeitura fizesse um plano de contingência, e em conjunto com a ACE/CDL do município enviaram a solicitação para o Comitê de Enfrentamento da Covid-19 na cidade. O objetivo do movimento, é que as atividades dos comércio pudessem ser realizadas mas com medidas rígidas. Até o momento, não foi dado nenhuma resposta aos proprietários de acordo com os empresários.

Em entrevistas ao portal Portal Correio Centro-Oeste, proprietários se posicionaram sobre a situação.Adriano José Batista Duarte, proprietário da pizzaria e restaurante ‘La Bellamassa’, informou ao , que desde que enviaram o pedido ao executivo, já foram realizadas duas reuniões do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 e ainda não haviam recebido nenhum posicionamento. Agora vão carregar nos ombros centenas de desempregados e provavelmente alguns comerciantes fechando suas portas” , afirmou ele em entrevista. Já Marina Rodrigues, proprietária do restaurante ”Pulo do Gato” afirmou que o delivery, serviço de apenas entregas, não consegue sustentar nenhum restaurante. “Nós ficamos à mercê, de portas fechadas, apenas com delivery; infelizmente, ele não sustenta a nossa estrutura, nenhum restaurante aqui de Arcos aguenta mais” , desabafou Marina.

Já Júlio Couto, proprietário do restaurante “Casa de Vovó” informou que já dispensou dois funcionários e reafirmou a dificuldade de se ter faturamento somente com os serviços de delivery. “Muita gente já teve que dispensar algumas pessoas. Dispensamos duas pessoas lá e estamos fazendo o rodízio de férias para ver se evitamos dispensar mais pessoas. Este faturamento que a gente está tendo só pelo delivery não é o suficiente para manter a empresa funcionando”, informou. O Decreto Nº 5.849/2021 pode ser lido na íntegra clicando aqui.

Netwise

O Jornal Cidade entrou em contato com a assessoria do município, caso o posicionamento seja dado, a matéria será atualizada.


Leia Mais:
Justiça indefere liminar da Acif/Cdl sobre reabertura do comércio em Formiga
 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄