fbpx

Projeto da professora Adircilene fica entre os cinco melhores em concurso nacional

Crianças resgatam a história do Congado e a valorização da cultura negra
Alunos da Escola Municipal Monteiro Lobato participam de Congo Mirim, em homenagem aos 100 anos do Congado em Lagoa da Prata

A professora, escritora e acadêmica Adircilene Batista participou do concurso “O Jardim da Educação”, promovido pela Editora Brasil e o Instituto Crescer, e ficou entre cinco educadores melhores classificados do Brasil. O objetivo do concurso é buscar experiências, ações para transformar a realidade para melhor, seja no ambiente escolar ou na comunidade. Segundo Adircilene, essa é a melhor maneira de promover a transformação que se busca para a educação do país. “Mas, um belo jardim requer muito cuidado, dedicação e, sobretudo, muita inspiração”, disse.

Adircilene Batista é professora, escritora e membro da Acadelp
Adircilene Batista é professora, escritora
e membro da Acadelp

A autora deu nome ao seu projeto de Congo Mirim – 100 Anos do Congado em Lagoa da Prata, que teve o objetivo de fomentar a cultura. “Quando se comemoram os 100 anos do Congado em Lagoa da Prata, e em tempos que se fala de uma educação participativa, da valorização da nossa gente e da cultura que a envolve, torna-se de grande importância sociocultural pesquisar, estudar e divulgar a história do Congado em nosso município. E, estando a Escola Municipal Monteiro Lobato inserida em uma comunidade onde está a sede dos congadeiros, a Praça
dos Congadeiros e onde acontece a Festa do Rosário em Lagoa da Prata, aconteceu uma oportunidade ainda maior do envolvimento e participação da escola e da comunidade. Muitos alunos participavam da festa com seus familiares, no entanto, desconheciam a história do congado, a origem, de onde veio e a importância desta festa. Na medida que foram pesquisando,
realizando entrevistas, fazendo a arte e criando o Congo Mirim, o conhecimento foi crescendo e se multiplicando por toda a comunidade. Sabemos que o Congado é uma manifestação cultural brasileira de influência africana e católica. Com isso, O Congo Mirim vem informar, conscientizar e principalmente resgatar a história do Congado, a valorização da cultura negra em nosso município, mostrando aos nossos alunos e familiares a origem e o significado de todos os elementos materiais
e humanos da festa, tão tradicional que vai muito além da fé e cultura do nosso povo”, explicou.

Além da premiação anunciada e da gravação do documentário, o mais importante para Adircilene foi o convite para participar do concurso: “Comece já a plantar o seu jardim. Ajude a transformar o mundo por meio da educação”, isso me moveu. Entre todos os inscritos, 5 projetos mais inspiradores foram selecionados e serão
premiados.

Além disso, farão parte de um documentário a ser produzido em 2016, que inspirará outros educadores de todo o país. Os cinco projetos selecionados são dos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraíba e Minas Gerais.

O concurso foi divulgado em todo o país pela Editora Brasil e Instituto Crescer, por meio de ações dentro do PNLD-2016 – (Programa Nacional do Livro Didático), que tem como principal objetivo subsidiar o trabalho pedagógico dos professores por meio da distribuição de coleções de livros didáticos aos alunos da educação básica. Os projetos inscritos foram analisados por um comitê avaliador que possui experiência em projetos de intervenção educacional edesenvolvimento comunitário. Adircilene Batista também faz parte da Acadelp (Academia Lagopratense
de Letras).

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄