Prefeitura de Lagoa da Prata publica nota referente ao corte das palmeiras em volta da praia

Prefeitura de Lagoa da Prata publica nota referente ao corte das palmeiras em volta da praia

De acordo com o sargento Alessandro, do Corpo de Bombeiros de Formiga, o corte das palmeiras foi uma solicitação da gestão municipal, via Secretaria de Meio Ambiente.

Na tarde da última quarta-feira (19), a redação do Jornal Cidade recebeu diversas mensagens de cidadãos indignados, relatando que uma equipe do Corpo de Bombeiros estava realizando o corte de árvores na Avenida das Palmeiras. A reportagem do JC se deslocou até o local, constatou as denúncias e apurou os motivos que levaram os profissionais do Corpo de Bombeiros a realizar o corte de dezenas de palmeiras que há mais de 30 anos ornamentavam o calçadão que envolve o maior ponto turístico da cidade de Lagoa da Prata.

Em repercussão disso, a prefeitura publicou nesta quinta-feira (20) uma nota nas redes sociais, onde conta à população o real motivo do derrubamento das palmeiras. Confira:

“A Prefeitura Municipal de Lagoa da Prata, diante da repercussão nas redes sociais sobre a retirada das palmeiras da Avenida do Contorno, vem a público prestar o seguinte esclarecimento:

Recentemente o Corpo de Bombeiros da cidade de Formiga esteve em Lagoa da Prata para avaliar as situações de risco devido às chuvas severas que estavam ocorrendo na nossa região. Foram vistoriados vários pontos da cidade, e os bombeiros identificaram perigo de queda das árvores no calçadão da Avenida do Contorno, pois é um local de grande circulação de pessoas. As Palmeiras que foram retiradas eram de espécie exóticas, com tempo de vida curto, e não apresentavam mais vitalidade.

No dia 13 de fevereiro de 2020 foi informada à Camara de Vereadores de Lagoa da Prata a necessidade dos cortes das árvores. Foi juntada a documentação constando: Laudo técnico do engenheiro florestal e do Corpo de Bombeiros; ata da quadragésima oitava reunião do Conselho Municipal de Defesa e Conservação do Meio Ambiente (Codema), onde os membros assinaram deliberando unanemente a retirada das palmeiras; e a autorização da Secretaria de Meio Ambiente.

O risco de queda de árvores se tornou mais alarmante porque naqueles dias críticos de chuvas intensas e com vendaval, mais de cinquenta árvores tombaram na cidade. Só no bairro Marília foram registradas 23 quedas. As equipes das Secretarias de Obras e Meio Ambiente, juntamente com o SAAE, trabalharam duramente dia e noite retirando árvores das ruas, muitas casas ficaram sem energia elétrica e houve vários transtornos. Felizmente não foi registrado nenhum acidente com pessoas.

O replante nos locais onde foram retiradas as palmeiras será recomposta conforme deliberado em reunião do Codema , com árvores de espécies apropriadas para a área, evitando acidentes com carros, ciclistas e pedestres. Vale lembrar que Lagoa da Prata hoje possui um viveiro que produz aproximadamente 30 mil mudas de espécies nativas, frutíferas e de mata ciliar que são distribuídas gratuitamente em todo o território de Lagoa da Prata.

Lagoa da Prata, 20 de fevereiro de 2020

Lessandro Gabriel da Costa
Secretário Municipal de Meio Ambiente”

Confira a matéria completa sobre o ocorrido.

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄