fbpx

Prefeitura de Lagoa da Prata adquire Arco Cirúrgico para o Hospital São Carlos

O novo equipamento moderno foi totalmente custeado pela Prefeitura, na gestão do prefeito Di Gianne Nunes, e auxiliará em cirurgias de média complexidade de ortopedia, traumas, urologia, neurologia, além de cirurgia geral.

Na tarde do dia 29 de setembro, o Hospital São Carlos e Prefeitura de Lagoa da Prata, por meio da gerente Danielle Saraiva, o prefeito Di Gianne e a equipe de ortopedia apresentaram o novo e moderno arco cirúrgico para autoridades e imprensa local.

O aparelho, que foi totalmente custeado pela Prefeitura, na gestão do prefeito Di Gianne Nunes, auxiliará uma equipe de seis médicos ortopedistas, coordenados pelo doutor André Antônio, que realizará cirurgias de ortopedia e traumas de média complexidade. O arco cirúrgico também poderá ser utilizado em cirurgias de urologia, neurologia, além de cirurgia geral.

“A equipe, também será custeada pela Prefeitura, e é composta por seis médicos de diversas especialidades. O André é quadril; Andrey Terra é ombro; o Luciano de Carvalho é especialista em joelho; David Amaral é generalista, Tadeu Teixeira é especialista em quadril; e Tiago Saldanha, também é especialista em mão . Eles trabalharão todos os dias, 6 horas presenciais na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com escala já pré-estabelecida, fora as horas presenciais, os médicos estarão de sobreaviso para que em caso de acidente ou trauma que seja necessária a intervenção imediata dos profissionais, os mesmos serão acionados para dar assistência imediatamente ao paciente. Se precisar internar ou operar o paciente será encaminhado para o Hospital São Carlos ou se não for da competência do hospital ele será transferido. Existe hoje uma fila enorme de ortopedia no município e essa equipe vai começar avaliando e reavaliando essas pessoas”, explicou a gerente.

Danielle também salientou que a equipe foi montada exclusivamente para atuar dentro dessa nova proposta de atender UPA e Hospital. “O doutor Luciano atendia sozinho e fazia cirurgias de média complexidade também, mas o arco cirúrgico que a gente tinha era cedido pelo Hospital São João de Deus, era bem antigo. Esse arco vai possibilitar realização de cirurgias nunca feitas no Hospital São Carlos, em Lagoa da Prata. Antes, dependendo da complexidade, os pacientes eram transferidos para Formiga, Belo Horizonte ou Divinópolis. Além do arco cirúrgico tem-se que ter uma base para realizar cirurgias como a tomografia dentro do hospital, agência transfusional r suporte de UTI. Vale ressaltar que o pós-operatório é tão importante quanto a cirurgia e a equipe fará até três destes, evitando assim o desgaste do paciente, que teria que se deslocar para outros municípios, e economia para o município de Lagoa da Prata”.

(Foto: Matheus Costa/Jornal Cidade).
(Foto: Matheus Costa/Jornal Cidade).

 

Diagnóstico da população que necessita de cirurgias

De acordo com a gerente do Hospital, por meio do diagnóstico feito pela equipe médica nos pacientes, o número será apurado para que se comece essas cirurgias. “O número que está no sistema SUS Fácil não é real, muita gente já fez a cirurgia em caráter particular ou não tem mais a indicação de procedimento. Então a equipe apurar o número desses pacientes e as urgências. Os dados que a gente tem hoje, que é da UPA, que são pacientes atuais, em média são de 20 a 25 pacientes/mês de urgência”.

Danielle informou ainda que o arco não atenderá apenas a população de Lagoa da Prata, mas a microrregião e macrorregião Oeste, uma vez que o hospital pleiteou retornar a rede de urgência e emergência no nível II, que são atendimentos de maior complexidade ,sendo porta para o Samu. “Eramos nível 3, a subimos para o nível 2 e seremos porta. Quando somos porta,o Samu pode encaminhar qualquer paciente aqui da nossa microrregião, principalmente trauma por acidente, e trazer para nós. Então com certeza o arco cirúrgico é um benefício para a microrregião de Lagoa e também para a macrorregião em geral, porque às vezes pode acontecer de recebermos um paciente de Divinópolis, porque lá às vezes tem equipe cirúrgica, mas não tem o leito de UTI”.

Segundo a gerente, o próximo passo para o início da utilização do arco, é o agendamento de um treinamento com uma empresa especializada, onde também serão realizados testes radiológicos .Já agendamos e assim estaremos aptos a utilizar o arco. A escala mesmo é que a partir do dia 1º de outubro já vai ter médico na UPA onde um ortopedista começa a escala dele presencial e sobreaviso”.

Investimento do município para a aquisição do arco cirúrgico e custeio dos profissionais

Todos os avanços, não somente da aquisição do arco cirúrgico, mas também da retomada das cirurgias eletivas, realização de cirurgias de urgência; a presença de obstetra 24 h presencial e uma equipe de anestesistas, pediatras, se deu graças à parceria do município com o hospital, o que viabiliza o avanço da unidade. “Sem o apoio do atual prefeito seria impossível o hospital caminhar da forma que está caminhando para dar assistência com qualidade à população”, reforçou Danielle.

Ao ser perguntado, o prefeito de Lagoa da Prata, Di Gianne Nunes, que esteve no local, disse que o município investiu para a compra do equipamento 290 mil reais e que a Prefeitura está custeando a contratação da equipe.

“Quando eu e Joanes Bosco estávamos montando o nosso o plano de governo, vistamos diversos setores e, dentre eles, o de saúde. Então, percebemos que o arco cirúrgico era um desejo de funcionários e pacientes do Hospital. Sendo assim, colocamos esse equipamento no nosso plano justamente por causa de sua funcionalidade e o que vai vir de bom agora a partir dessas cirurgias ortopédicas e as vantagens dele para nossa cidade nesse momento. Então hoje é um dia de grande satisfação em virtude de uma grande conquista”, disse o prefeito.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄