fbpx

Preços do etanol e gasolina voltam a subir na região Centro-Oeste MG

Com a forte alta no barril do petróleo no mercado internacional e o dólar cada vez mais valorizado, a tendência é de que o combustível para o consumidor sofra novos reajustes neste ano e no ano que vem, alertam especialistas.

Os brasileiros estão pagando cada vez mais caro para encher o tanque do carro. A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (25) que fará reajustes nos preços da gasolina e diesel para as suas distribuidoras a partir desta terça-feira (26). O aumento será de 7,04% para a gasolina e de 9,15% para o diesel.

No ano, o diesel já acumula alta de 65,3% nas refinarias. Já a gasolina subiu 73,4% no mesmo período. Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mostra a valorização para o consumidor, as altas em 12 meses foram de 33,05% e 39,6%, respectivamente.

O etanol também não está ficando para trás, em Arcos e Lagoa da Prata, por exemplo o combustível chegou a custar R$ 4,69 no dia 24 de agosto de 2021; já a gasolina nas mesmas cidades e na data citada custava R$ 6,19. No dia 27 de outubro, dois meses depois o etanol passa a custar R$ 5,49; e a gasolina R$ 6,85. Ou seja, em 63 dias, o etanol subiu 6%, e a gasolina aumentou de 10%.

Em agosto de 2021, a gasolina custava R$ 6,19 e o etanol R$ 6,19. (Foto: Matheus Costa / divulgação).

 

O que explica a série de aumentos?

Com a forte alta no barril do petróleo no mercado internacional e o dólar cada vez mais valorizado, a tendência é de que o combustível para o consumidor sofra novos reajustes neste ano e no ano que vem, alertam especialistas. Segundo eles, a inflação dos combustíveis está relacionada à falta do produto no mercado externo, mas também às incertezas acerca das contas públicas, após o governo admitir que poderá estourar o teto de gastos para ampliar o Bolsa Família.

“Os reajustes devem continuar ocorrendo nos próximos meses, porque não vejo o preço do petróleo cair e, muito menos, o dólar”, afirmou Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) ao Jornal Correio Braziliense.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄