Em nota, prefeitura explica a situação de Martins Guimarães

Em nota, prefeitura explica a situação de Martins Guimarães

A Prefeitura de Lagoa da Prata respondeu às reinvindicações apresentadas na primeira reunião Câmara Itinerante, realizada na comunidade de Martins Guimarães na terça-feira (20). Através do representante comunitário, Antônio Francisco, os vereadores receberam as reclamações direcionadas a vários setores da administração. O Portal TV Cidade encaminhou as reclamações dos moradores à Assessoria de Comunicação.

Confira a nota, na íntegra, enviada pela ASCOM:

 

Martins Guimarães

Campo de futebol

A obra do campo de Martins Guimarães já está em fase de finalização e é terceirizada, segundo o Diretor de Obras. O local deve ser entregue de acordo com o proposto no edital de contratação. Somente depois de concluir a fase final da obra, engenheiros da Caixa Econômica Federal fiscalizarão o local. E se houver alguma irregularidade o pagamento para a empresa responsável é realizado apenas após os ajustes necessários. Engenheiros da Prefeitura também irão fiscalizar as obras.

Limpeza

De acordo com o Setor de Limpeza, semana passada foi realizada uma limpeza geral em Martins Guimarães, com capina e recolhimento do lixo. A coleta do lixo doméstico é feita duas vezes por semana, na quinta-feira e segunda-feira no período da tarde.

Esgoto

De acordo com informações do SAAE, o distrito era limitado pela linha férrea e havia a infraestrutura de água e esgoto nas casas que foram construídas na comunidade, inclusive, há mais de 10 anos já existe no local o tratamento de esgoto. Porém, as residências que foram construídas do outro lado da linha e do córrego, não haviam caídas de esgoto para essa rede existente. O SAAE já está a par da situação e está elaborando um projeto para solucionar o problema, implantando a rede de esgoto e o tratamento da mesma. O custo é estimado em R$ 500 mil. Salientamos que o problema já ocorre há alguns anos no local.

 

Educação

As atividades da creche foram encerradas porque não havia autorização legal pra funcionar. De acordo com a Secretaria de Educação também não havia demanda. Apenas 5 crianças era atendidas no berçário e duas delas residiam em Lagoa da Prata. Os outros serviços da escola serão mantidos e estão funcionando normalmente.

Posto de saúde

De acordo com a Secretaria de Saúde o médico atende uma vez por semana devido a pouca demanda e que essa prática acontece há alguns anos. Sobre os medicamentos da farmacinha foi pedido um levantamento de quantas pessoas utilizam os medicamentos de uso contínuo, para que futuramente possa ser também implantado o projeto piloto de distribuição na comunidade, já iniciado nos bairros Chico Miranda, Sol Nascente, e Monsenhor Alfredo.

 

Netwise

Confira neste link a matéria sobre a reunião da Câmara Itinerante:

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄