Policiais e servidores da penitenciária de Formiga testam positivo para covid-19

Policiais e servidores da penitenciária de Formiga testam positivo para covid-19

A Sejusp tem adotado medidas para prevenir que profissionais e detentos se contaminem pela doença durante a pandemia. Além de adotar as medidas o sistema prisional já produziu 4,5 milhões de máscaras.

Foto: TV Integração/Reprodução

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), confirmou no último sábado (13) ao portal G1, que 10 servidores da Penitenciária de Formiga testaram positivo para a covid-19, sendo nove policiais penais e um servidor do setor administrativo.

Conforme a Sejusp, 9 dos servidores estão com sintomas leves ou assintomáticos e estão dispensados do serviço, cumprindo o período de quarentena em casa; e outro internado está no Hospital Municipal de Campo Belo para melhor avaliação do quadro clínico.

Medidas para evitar contaminação dos presos

A Sejups adotou uma série de medidas para prevenir que os detentos se contaminassem e disseminação o novo coronavírus. Foram criadas algumas ações como unidades porta de entrada, local em que os presos cumprem período de quarentena até serem transferidos para outras unidades. Além das unidades, as visitas foram suspensas, devido a classificação de Divinópolis no plano Minas Consciente, o município estavam na Onda Vermelha e atualmente está na Onda Roxa. Veja outras ações desenvolvidas:

Sejusp criou unidades de porta de entrada para período de quarentena durante a pandemia — Foto: Sejusp/Divulgação
Foto: Sejusp/Divulgação

Outra ação adotada que considerada pioneira no país, foi a de circulação restrita de detentos durante a pandemia da covid-19. Esta ação foi classificada como referência pelo Ministério da Justiça e Segurança da Justiça e Segurança Pública. Para evitar a contaminação dos presos, 30 unidades de referência foram distribuídas em Minas Gerais, nestas unidades funcionam centros de triagem e portas de entrada para novos custodiados do sistema prisional. Na região Centro-Oeste de Minas essas unidades são as de Bom Despacho e Dores do Indaiá. Todas as pessoas presas em Minas Gerais estão sendo encaminhadas para uma unidade específica em cada região e ficam, pelo menos, 15 dias em quarentena e observação, fator que evita o possível contágio caso fossem encaminhadas de imediato para outras unidades. Após a observação e atestada a saúde, são encaminhados para as demais unidades prisionais do Estado, como informou a Sejusp.

Visitas virtuais e presenciais

Visitas virtuais são realizadas nos presídios durante a pandemia — Foto: Sejusp/Divulgação
Foto: Sejusp/Divulgação

Em setembro de 2020, o Depen-MG deu início a retomada gradual das visitas presenciais no sistema prisional, seguinda a classificação do “Minas Consciente” de cada macrorregião. A lista de unidades em cada onda é atualizada semanalmente no site da Sejusp, às quintas-feiras. Os familiares também podem ter contato com parentes por meio de cartas; ligações telefônicas, ou videoconferências nas unidades em que essa tecnologia já está disponível. Ao todo, mais de 90% das unidades prisionais realizam visitas familiares por videoconferência. Esta modalidade continuará sendo realizada mesmo se as visitas presenciais foram retomadas.

Em caso de contaminação

Netwise

Caso detentos apresentem sintomas da covid-19, o protocolo adotado é: isolamento imediato, realização de exames e, em caso de confirmação, tratamento segundo protocolo de Saúde. Em todas as unidades em que há presos com covid-19 confirmados, a desinfecção do ambiente é realizada imediatamente e todos os demais detentos passam a usar máscaras, de forma preventiva, conforme informado pela Sejusp.

Em relação aos profissionais, foi informado que eles estão trabalhando com escolas de trabalho dilatadas, para diminuir a circulação desses servidores nas unidades. Foram instalados equipamentos para a realização de videoconferências judiciais em todas as unidades prisionais que estão, aos poucos, se adaptando para uso dessa ferramenta. A medida evita o deslocamento da maioria presos para outro ambiente e reduz o risco de contágio .Já foram realizadas mais de 16 mil videoconferências judiciais neste período de pandemia – uma parceria com o Poder Judiciário que deve se estender no período pós pandemia por resultar em ganhos positivos para todos os atores envolvidos.

Limpeza geral e desinfecção de ambientes

Limpeza das unidades é realizada periodicamente, segundo a Sejusp — Foto: Sejusp/Divulgação
Foto: Sejusp/Divulgação

As áreas estruturais como celas, pátios, áreas administrativas e técnicas, portarias, guaritas e, também, veículos estão passando por uma higienização reforçada, semanalmente, durante a pandemia da covid-19.

Máscaras e Epis produzidas por detentos

Presos estão produzindo máscaras durante a pandemia — Foto: Sejusp/Divulgação
Foto: Sejusp/Divulgação

O sistema prisional está produzindo máscaras para uso nas próprias unidades e segurança de todos. Nas unidades prisionais já foram produzidas 4,5 milhões de máscaras pelos detentos. Os equipamentos de proteção como máscaras Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), são usados obrigatoriamente dentro das unidades pelos funcionários, já os presos, utilizam máscaras quando apresentam algum sintoma suspeito ou quando pertencem às alas ou pavilhões onde outro detento foi testado positivo para a doença.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄