Polícia Militar de Formiga inicia fiscalizações do Período Defeso

Polícia Militar de Formiga inicia fiscalizações do Período Defeso

No Período de Defeso iniciam-se as restrições gerais de pesca que demandam uma maior atenção em relação às atividades pesqueiras.

No dia 1º de novembro começou o Período de Defeso em Formiga, o qual amplia a proteção à ictiofauna (peixes de determinada região). No Período de Defeso iniciam-se as restrições gerais de pesca que demandam uma maior atenção em relação às atividades pesqueiras, sobretudo, no que tange a captura de pescado tanto por pescadores amadores quanto para pescadores artesanais e empreendimentos pesqueiros, com a prática de pesca com métodos e técnicas, muitas vezes, proibidos.

Segundo a Polícia de Meio Ambiente, no momento, há a necessidade de diminuir a prática de pesca predatória, com o intuito de assegurar a sustentabilidade das diversas espécies da fauna ictiológica, ampliando a malha protetora rotineira, devido à demanda maximizada pelo potencial pesqueiro, sobretudo, do Lago de Furnas, Rio São Francisco e Lagoas Marginais.

Entre os meses de novembro de 2019 e fevereiro de 2020, visando o combate aos crimes ambientais inerentes a pesca predatória, policiais militares do 2º Pelotão PM de Meio Ambiente, sediado em Formiga, irão executar a “Operação Piracema 2019/2020”, desenvolvendo diversas atividades nos 12 municípios quem compõe a responsabilidade territorial do pelotão

A 7ª Cia PM de Meio Ambiente, como forma de intensificar as fiscalizações no campo de pesca no início da Piracema, executou a Operação Combate a Pesca Predatória VII – Piracema 2019/2020, na Bacia Hidrográfica do Rio Grande – Represa de Furnas e Rio São Francisco, setor de fiscalização do 2º Pelotão PM de Meio Ambiente, com o objetivo de prevenir e reprimir às infrações e crimes ambientais de pesca, nos dias 07 de novembro de 2019 e 08 de novembro de 2019.

Os esforços operacionais foram direcionados para a fiscalização de pesca, declaração de estoque, comércio de pescado e apetrechos, transporte e orientações quanto às restrições e autorizações de ações, durante a Piracema, delimitados pelas Portarias do Instituto Estadual de Florestas – IEF 154 e 156/2011, que normatizam o Período de Defeso nas bacias hidrográficas localizadas no setor do 2º Pel PM MAmb.

Durante a execução da operação foram obtidos os seguintes resultados:

Atividades operacionais:

Fiscalizações desencadeadas: 39

Prisão de autores: 03

 

Autuações e documentos redigidos:

Autos de Infração redigidos: 13

Valor Total de multas aplicadas: R$ 93.603,00

Termo de Doação: 01 Boletins de Ocorrência lavrados: 11

 

Fiscalizações realizadas:

Propriedades rurais: 34

Locais de pesca: 37

Pescadores amadores: 123

Pescadores profissionais: 03

Comércio de Pescado e apetrecho de pesca: 19

Veículos diversos: 116

Embarcações fiscalizadas: 35

 

Materiais e veículos apreendidos:

Rede de pesca (metro linear): 901

Rede de pesca (unidade): 43 Tarrafa: 02

Pindas: 38 Pescado (kg): 90

 

Piracema

Os índios, há muitos anos, observaram o movimento dos peixes em cardumes rio acima, que subiam contra a correnteza para se acasalarem e se reproduzirem. Os indígenas denominaram este fenômeno natural como Piracema, palavra que surgiu da associação de outras duas de origem indígena (pira=peixe e cema=subida).

Os peixes migradores, ou peixes de piracema, realizam um esforço físico intenso para a subida dos cursos d’agua. Alguns espécimes chegam a nadar centenas de quilômetros em poucos dias. O deslocamento em cardumes e a exaustão decorrente da grande atividade física tornam os peixes alvos fáceis para a captura.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄