Onda amarela do plano Minas Consciente será suspensa para conter avanço da Covid-19 no Estado

Onda amarela do plano Minas Consciente será suspensa para conter avanço da Covid-19 no Estado

O programa Minas Consciente foi criado pelo Governo de Minas para promover a retomada econômica gradual e coordenada nas cidades mineiras, sugerindo medidas que preservem a saúde dos mineiros; confira como funciona:

O Comitê Extraordinário Covis-19 suspendeu, na macrorregião de Saúde Leste do Sol, os protocolos da onda amarela do plano Minas Consciente. O Comitê se reúne semanalmente para avaliar o avanço da pandemia do coronavírus do Estado.

Conforme o Agência Minas Gerais, a orientação do grupo técnico é que a macrorregião Leste do Sul volte para a onda branca, unindo-se às regiões Norte e Sul, que têm uma taxa de ocupação de leitos controlada até o momento. Como forma de prevenção, deverão ser fechados temporariamente estabelecimentos como papelarias, salões de beleza e lojas de roupas. Podem continuar funcionando os serviços essenciais e as atividades autorizadas na onda branca, a exemplo das autoescolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas.

Minas Consciente 

O plano setoriza as atividades econômicas em quatro “ondas” (onda verde – serviços essenciais; onda branca – primeira fase; onda amarela – segunda fase; onda vermelha – terceira fase), a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação da doença.

Até o dia 24 de junho, 155 prefeituras já tinham oficializado a adesão ao Minas Consciente, impactando 3,7 milhões de mineiros. Clique aqui para conferir a lista de municípios que aderiram.

As mudanças de ondas são avaliadas semanalmente pelo Comitê Extraordinário Covid-19. Além do governador e de todo o secretariado do Executivo mineiro, o grupo, criado especialmente para monitorar o avanço da epidemia no estado, conta com representantes do Ministério Público do Trabalho, do Ministério Público de Minas Gerais, da Defensoria Pública e do Tribunal de Contas do Estado.

Ondas

Onda branca (baixo risco)

  • Antiguidades e objetos de arte
  • Armas e fogos de artifício
  • Artigos esportivos e jogos eletrônicos
  • Floriculturas
  • Móveis, tecidos e afins

Onda amarela (médio risco)

  • Departamento e variedades
  • Livros, papelaria, discos e revistas
  • Vestuário

Onda vermelha (alto risco)

  • Decoração, design e paisagismo
  • Duty free
  • Formação de condutores
  • Hotéis e afins
  • Informática e comunicação não essencial
  • Jóias e bijuterias
  • Salões de beleza e estética

Onda verde (serviços essenciais)

  • Padarias
  • Farmácias
  • Supermercados

Por causa do aumento expressivo no número de casos de Covid-19 em Minas Gerais, o governador Romeu Zema ressaltou a importância de manter as medidas de prevenção, como o isolamento social e o uso de máscara, para desacelerar a disseminação do vírus.

“Precisamos ter em mente que ainda não vencemos o jogo – ainda devemos estar em 20 minutos do primeiro tempo. Isso vai demandar paciência e comprometimento da população. Um Estado sozinho não consegue fazer tudo. Estamos tomando todas as medidas necessárias e, por isso, o Estado está mais estruturado a cada dia. Mas, se as pessoas estiverem fazendo churrasco, saindo de casa desnecessariamente e reduzindo o uso de máscara e a higiene das mãos, não teremos como conter o avanço dessa pandemia. Peço a todos que participem desse esforço”, pediu.

Zema também salientou que algumas cidades mineiras já decretaram o lockdown, quando o distanciamento social se torna obrigatório e as medidas de abertura são mais rígidas até mesmo para os serviços essenciais.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄