O cerco está fechando para vereadora Josiane Almeida

O cerco está fechando para vereadora Josiane Almeida

Vereadora e presidente da Câmara de Lagoa da Prata, tem até dia 10 de agosto para convocar reunião que irá julgar processo de cassação de seu mandato.

Josiane poderá ser a primeira vereadora cassada em Lagoa da Prata (Foto: Josiane Almeida/Arquivo Pessoal).
Alan Russel
@road_russel

Josiane Almeida, que foi eleita com a bandeira de protetora dos animais, se encontra em más lençóis e pode ter o seu mandato cassado na Câmara Municipal de Lagoa da Prata. A presidente da casa legislativa é processada por uma comissão formada por três vereadores, que investigam denúncias de ex-servidoras da Câmara contra Josiane Almeida. Para piorar a situação da presidente, ex-servidoras que denunciaram abusos por parte de Josiane, alegam que estão sendo perseguidas pela vereadora protetora dos animais. Inclusive, foram compartilhados em redes sociais áudios, fotos e vídeos que indicam que Josiane Almeida foi até a casa da ex-servidora, Michele Calixto, na cidade de Arcos, para tentar estabelecer contato com a denunciante. É necessário salientar que é vedado à vereadora em situação de investigada, tentar ou manter qualquer tipo de contato com as denunciantes.

Entenda o caso.

No dia 24 de março, o Jornal Cidade noticiou em primeira mão, que assessoras parlamentares da Câmara Municipal de Lagoa da Prata apresentaram denúncia ao departamento jurídico da instituição, alegando que a presidente da casa cometeu assédio moral contra às então assessoras parlamentares. As denunciantes enfatizam que a vereadora, entre outras denúncias, forçou as servidoras a pagar do próprio bolso, contas pessoais da presidente da casa. Um dia após a apresentação da denúncia, as servidoras foram exoneradas pela presidente. Na ocasião, o Jornal Cidade teve acesso aos documentos e conversou com as servidoras, que endossam a denúncia contra a presidente do legislativo municipal.

Após mais de um mês de paralisação dos trabalhos legislativos devido à pandemia da Covid-19, no dia 4 de maio os vereadores se reuniram para uma reunião extraordinária da Câmara Municipal de Lagoa da Prata, para tratar de denúncias contra a presidente da casa, Josiane Almeida. Durante a sessão extraordinária, a Câmara apresentou as denúncias e votou favorável à investigação contra a presidente da casa. Com oito votos favoráveis, apenas o vereador Preto, foi contra a abertura do processo investigativo. Sendo assim, foi montada uma comissão para realizar a investigação contra a vereadora eleita, com a bandeira de protetora dos animais.

Reunião em que vereadora será julgada, deve ocorrer no dia 10 de agosto. (Foto: Josiane Almeida/Divulgação).

Comissão investiga abusos por parte da presidente da Câmara

A Comissão formada pelos vereadores Cabo Nunes, Cida Marcelino e Quelli Cássia já emitiu o parecer acerca da investigação. O Jornal Cidade teve acesso aos documentos. A vereadora Quelli Cássia, que é presidente da Comissão, votou procedente e enfatizou a necessidade da cassação do mandato da vereadora Josiane. A vereadora Cida Marcelino, relatora da Comissão, também acompanhou o voto da Quelli. Apenas o vereador Cabo Nunes se manifestou improcedente à denúncia.

De acordo com a presidente da Comissão que investiga as denúncias contra Josiane, a vereadora tem até o dia 7 de para marcar a reunião, que deve acontecer até o dia 10 de agosto.

Josiane se defende das acusações

A presidente da Câmara Municipal também falou com a reportagem e afirma que está sendo vítima de perseguição política e que irá convocar a reunião em que seu mandato será julgado.

“Eu sofro  perseguição política sim, doa a quer doer. São denúncias infundadas. Com relação ao agendamento do julgamento, estou analisando o melhor dia para marcar a data”, sinalizou Josiane.

Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

A vereadora Josiane Almeida precisa de dois terços dos votos da Câmara Municipal para ter seu mandato cassado. O Legislativo de Lagoa da Prata conta com nove vereadores. Josiane precisa de, no mínimo, quatro fotos contra a cassação para salvar seu mandato. Tudo indica que os vereadores Cabo Nunes, Preto e Lalinho, que são da base aliada do prefeito, devem votar contra a cassação do mandato. O voto que talvez possa vir a definir a situação da vereadora Josiane Lúcia, é o voto da suplente na Câmara, Janeany Almeida. O que se ouve nos bastidores é que a gestão municipal fez um força tarefa para convencer a Janeany a votar contrária a cassação e salvar a pele de Josiane.

Além das denúncias na Câmara Municipal, Josiane é investigada pelo Ministério Público, que propôs acordo de não persecução cível, no entanto a presidente da Câmara não aceitou e agora responde por processo junto ao MP.

Caso Josiane Almeida tenha o mandato cassado, esta será a primeira vez na história da Câmara de Lagoa da Prata que um fato como este acontecerá.


Leia mais: 

Ministério Público abre inquérito para investigar vereadora Josiane ‘Protetora dos Animais’

Servidoras da Câmara apresentam denúncia que pode levar à cassação da presidente Josiane Almeida

Ministério Público propõe acordo de não persecução cível e presidente da Câmara de Lagoa da Prata não aceita

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄