Moradores cobram providências sobre fumaça em Lagoa da Prata

Moradores cobram providências sobre fumaça em Lagoa da Prata

Além das queimadas criminosas, o município enfrenta um antigo problema, que são as turfas.

Nos últimos dias, Lagoa da Prata tem amanhecido coberta por uma fumaça que tem incomodado muita gente não só na questão da visibilidade, mas causando doenças respiratórias e muita sujeira nas residências. Além das queimadas criminosas, o município enfrenta um antigo problema, que é turfa, o que, segundo moradores, este ano está mais acentuada. A turfa é um solo rico em matéria orgânica com alta combustão.

A ação criminosa de moradores e o tempo seco propiciam o aumento do fogo e por causa disso, também aumentou, consideravelmente, os atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em relação a dificuldade respiratória, principalmente em crianças e idosos que sofrem de doenças como asma, bronquite e renite, como contou a enfermeira Iasca Reginalda. Ela atende casos diários de pessoas que sofrem com a fumaça.

O Jornal Cidade conversou com diversos moradores, que pediram mais atenção da administração para a causa. Segundo Rosenei da Cruz, moradora do centro, a fumaça está incomodando muito. “Quero apenas pedir mais atenção, os administradores moram na cidade, estão vendo. Temos crianças, em outras casas têm idosos, e não é só isso, essa fumaça está incomodando todo mundo. A casa fica imunda, a gente tem que gastar com remédios. Queremos que pelo menos a situação seja amenizada”.

Para Roni Miranda, morador do bairro São José, a situação está caótica. “Quem coloca fogo é sem noção! Ontem à tarde estava ruim para respirar, tivemos que sair com minhas sobrinhas pequenas, pois estavam passando mal”.

Maria José Bernardes é moradora do bairro São José e também pede providências. “Um absurdo! Pouco caso! Só quem mora perto sabe. Este assunto da turfa é tão fácil de resolver. Caminhões-pipa conseguem resolver. Água? Tem a lagoa ao lado. A saúde dos moradores está comprometida, poucos conseguem ter uma noite completa de sono, impossível não acordar tossindo. A fumaça que entra para as nossas casas é terrível. Desde domingo passado nenhum foco foi apagado e não é nada difícil de executar, é pouco caso mesmo”.

Fumaça tem incomodado moradores desde o início da semana. (Foto: Débora Rezende/Arquivo Pessoal).

O Secretário de Meio Ambiente, Lessandro Gabriel, conversou com a equipe do Jornal Cidade e explicou que o problema acontece há mais de vinte anos. “Lagoa da Prata recebeu um helicóptero do Corpo de Bombeiros de Belo Horizonte que tirava água do bolsão da praia e jogava na turfa. A questão da turfa queimar era pior quando não existia a lagoa, pois a área pegava fogo como um todo. Há cinco anos a cidade ficava coberta de fumaça, hoje a proporção está menor. O Corpo de Bombeiros está avaliando o caso, mas ontem eles estiveram aqui e não conseguiram entrar lá, pois lá é mata seca e caminhão não entra. Para ter qualquer tipo de intervenção tem que ter licença do Estado, até mesmo para ligar uma bomba na lagoa pra jogar água lá, teria que ter a outorga do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), e isso não se consegue de um dia para o outro”.

Ele ainda complementou que a secretaria está buscando alternativas para amenizar o problema. “O Secretário de Saúde está em Belo Horizonte para conseguir junto ao Corpo de Bombeiros a aeronave para jogar água no local, eles têm essa autonomia. Através do Saae, a prefeitura também já jogou água lá aonde deu para jogar, porém, como o fogo está no meio e a mata é densa, o local é de difícil acesso para entrar caminhão. Estamos tentando resolver em conjunto através da a prefeitura, a Polícia Florestal e o Corpo de Bombeiros.  Primeiramente, precisamos da autorização dos proprietários, que já estão cientes; a Polícia Florestal, que também tem o poder de auxiliar e mobilizar algumas autoridades como o Corpo de Bombeiros, que é a principal frente para resolver, pois a turfa é perigosa, queima debaixo para cima, é uma matéria orgânica mole. Para resolver a situação, aquele local tinha que ser umedecido como um todo, voltar a ser lagoa. Chega essa época do ano, algumas pessoas também colocam fogo, estamos vendo isso em tudo quanto é lugar. Estamos lutando, estamos tentando fechar esse plano b para solucionar, amenizar esse impacto. Outra solução seria a chuva, mas não há previsão para os próximos 15 dias”.

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄