fbpx

Ministério da Saúde volta a recomendar vacinação para adolescentes sem comorbidades

O motivo do recuo ocorreu após Comitê Interinstitucional de Farmacovigilância de Vacinas e outros Imunobiológicos (CIFAVI) concluir que morte de adolescente não estava relacionada à vacina.

Uma semana após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, criticar campanha antecipada dos estados para vacinação contra a covid-19 de adolescentes de 12 a 17 anos, o Ministério da Saúde recuou e voltou a recomendar a vacinação para a faixa etária, mesmo os sem comorbidades.

O Ministério disse que, apesar da retomada, os grupos vulneráveis devem ser priorizados. “Não só o grupo com comorbidades, mas a população que precisa de reforço e o encurtamento de prazo”.

De acordo com a secretária de Enfrentamento à covid-19, Rosana Leite Melo, todos os brasileiros devem ser imunizados até o final de 2021, mas o Plano Nacional de Imunizações (PNI) precisa ser respeitado pelos estados e municípios.

Motivo da suspensão

Na última quinta-feira, a pasta tinha alegado que um dos motivos para suspender a vacinação dos adolescentes foio caso de uma adolescente de 16 anos, em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo, que morreu uma semana após ser imunizada com a Pfizer.

Contudo, o diagnóstico referendado pelo Comitê Interinstitucional de Farmacovigilância de Vacinas e outros Imunobiológicos (CIFAVI) concluiu que a jovem não apresentou qualquer doença cardiológica e sua morte foi causada por um quadro clínico característico dePúrpura Trombótica Trombocitopênica (PTT), uma doença autoimune.

O Jornal Cidade entrará em contato com as Prefeituras da região Centro-Oeste MG para saber como será a vacinação e, em breve, divulgaremos os cronogramas.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄