Mês do Cinema Brasileiro: relembre quando Lagoa da Prata tinha cinemas

Mês do Cinema Brasileiro: relembre quando Lagoa da Prata tinha cinemas

Os antigos desfrutaram de prazeres que talvez essa nova geração nunca venha a ter, como o Cine Luciânia da Usina ou o Cine Vera Cruz da cidade, entre os anos 60 e 90.

Reportagem: Matheus Costa

No mês de junho é comemorado o Dia do Cinema Brasileiro, mais precisamente marcado pelo dia 19 de junho. Pensando nisso, o Jornal Cidade resolveu trazer um fato curioso que a nova geração de lagopratenses talvez não saiba: Lagoa da Prata já teve cinemas! Mas isso foi há muito tempo.

Nos anos 60 e 70, o Cine Vera Cruz, situado no prédio em frente a Paróquia São Carlos Borromeu, onde hoje é a Eletrozema, exibia muitos filmes. No final dos anos 70, o senhor Paulo Siveli arrendou o cinema e de lá pra cá muitas coisas mudaram.

Netwise

Cine Luciânia

Nas redondezas da Biosev, existiu por muitos anos, a Vila Luciância, e lá também tinha cinema.

Conforme o repórter do Jornal Cidade, Alan Russel, que foi morador da Vila, o fim de semana era bom para a criançada, que ficava na expectativa para ir.

“Tinham muitos filmes infantis em cartaz. As cadeiras da época eram de madeira, muito menos aconchegantes que as dos cinemas atuais. Mas esse desconforto passava despercebido diante da telona. O engraçado é que as crianças da vila toda se juntava nas primeiras fileiras da frente do cinema; era uma barulhada só”, contou.

Até parece história de filme vintage, né? Mas tudo aconteceu. Alan ainda disse que chegou a ver os filmes “O Exterminador do Futuro 2”, “O Predador”, “Free Willy”, filmes da Xuxa e dos Trapalhões lá.

“Também foi no cinema da Usina que rolava os romances e os encontros dos jovens. Eu mesmo fui beijar pela primeira vez no antigo cinema da Usina Luciânia. E era muito bom para a garotada ter a oportunidade de crescer tendo acesso ao cinema”, contou Alan.

Por fim, ele disse que após entrar para a faculdade, se envolveu com audiovisual e talvez, muito por conta da forte influência do cinema nós tempos de criança. “Tive a oportunidade de ser contemplado em editais do Ministério da Cultura onde consegui recurso e capacitação para produzir filmes e curta metragem. Produzi dois documentários e um curta metragem de ficção. Também fui contemplado e editais para realização de cineclubismo e circulação se projeções audiovisuais em praças públicas de cidades do interior de Tocantins. Acredito que o contato com a telona na infância contribuiu muito para que eu executasse ações e produzisse conteúdo audiovisual na faculdade. O primeiro filme que eu fiz até fez um sucesso considerável em editais. Chegou a ser exibido em mostras paralelas no festival de cinema de Gramado, Festival de Brasília e no Brazilian Festival Film, em Nova Iorque”, finalizou.

Foto: Redes Sociais.

Infelizmente, o Cine Luciânia acabou após a grave dos trabalhadores que aconteceu na Usina em 1989. Os antigos donos da usina ficaram decepcionados com a situação, e aos poucos goram tirando algumas benfeitorias para os habitantes da vila. Então houve o êxodo dessas famílias para a cidade; e com o espaço do galpão do cinema, a Usina usou o local para depósito de sacas de açúcar.

O Jornal Cidade quer saber, você tem alguma história interessante sobre o cinema de Lagoa da Prata? Conte pra gente incluir na matéria.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄