fbpx

Médica fala sobre a importância da vacinção infantil no combate à covid-19 e variantes

A aplicação da vacina da Pfizer-BioNTech em crianças de 5 a 11 anos foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e indicada pela Sociedade Brasileira de Pediatria , depois análise de dados que atestaram a segurança e a eficácia dos imunizantes.

A vacinação infantil contra a covid-19 tem sido alvo de muitas discussões, principalmente, entre pais. Alguns com teorias ainda não comprovadas e outros baseados em estudos já concluídos sobre a eficácia. A reportagem do Jornal Cidade conversou com a médica Synara Veloso Cardoso, que esclareceu algumas dúvidas sobre a importância e efeitos da vacinação infantil. 

“A vacina previne morte, dor, sofrimento, emergências e internação em todas as faixas etárias. Negar este benefício às crianças sem evidências científicas sólidas, bem como desestimular a adesão dos pais e dos responsáveis à imunização dos seus filhos, é um ato lamentável e irresponsável, que, infelizmente, pode custar vidas”

A vacina pode fazer mal para a criança?

A aplicação da vacina da Pfizer-BioNTech em crianças de 5 a 11 anos foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), depois análise de dados que atestaram a segurança e a eficácia dos imunizantes. Também foram levadas em consideração as aprovações concedidas por entidades sanitárias de diversos países.

Como as doses infantis são menores e têm outra composição, os frascos serão diferenciados para evitar enganos. A Anvisa recomenda também que sejam oferecidas salas separadas para as crianças e que haja intervalo de 15 dias caso tenha ocorrido imunização contra outras doenças.

Podem ocorrer efeitos adversos, que são raros e estão dentro do esperado. Para controle de qualquer tipo de reação, é aconselhado que os pequenos e pequenas aguardem no posto por cerca de vinte minutos após a aplicação.

Vacinas, de forma geral, podem ter efeitos adversos.

Por que vacinar crianças se a covid é menos grave entre elas?

Embora o número de casos graves e mortes seja menor entre crianças, isso não garante que infectados e infectadas nessa faixa etária estão fora de risco. Mais de 300 pessoas com idades entre 5 e 11 anos morreram de covid-19 no Brasil.

Com a circulação da variante ômicron, as hospitalizações têm atingido principalmente populações não imunizadas.

Imunizar crianças é também uma forma de proteger quem convive com os pequenos e pequenas no cotidiano e aumentar ainda mais as chances de interromper a circulação do coronavírus.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) publicou no dia 6 de janeiro uma nota em que informava que pesquisas feitas até o momento apontam a eficácia e a segurança da vacina aplicada na população pediátrica. A entidade indicou, ainda, como os imunizantes são essenciais para evitar formas graves da covid-19.

Mas se criança estiver com covid?

A norma é a mesma, vacina-se um mês após a infecção, ou seja, um mês após o teste dar negativo.

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄