fbpx

Lagopratense nas Olimpíadas de Tóquio: Núbia Soares alcança índice olímpico

Ela fez a marca de 14,68m (0,5) logo em sua primeira tentativa no Troféu Disputación de Castellón e garantiu sua vaga para disputar os Jogos Olímpicos em Tóquio.

A lagopratense Núbia Soares alcançou o índice olímpico para disputar as Olimpíadas de Tóquio. Em suas redes sociais, a atleta, de 25 anos, disse estar muito feliz por atingir a sexta maior marca mundial. Ela fez a marca de 14,68m (0,5) logo em sua primeira tentativa no Troféu Disputación de Castellón e garantiu vaga para disputar os Jogos Olímpicos em Tóquio. Após atingir a marca, Núbia não conseguiu mais seguir na prova e queimou os dois saltos seguintes que fez. O salto de 14m68, aliás, é apenas um centímetro abaixo do recorde brasileiro, que já é dela.

Em 2016, nas Olimpíadas do Rio, Núbia não se classificou à final da prova do salto triplo, mas deixou a população lagopratense orgulhosa. De acordo com o Globo Esportes, o ciclo para os Jogos de Tóquio foi uma verdadeira montanha-russa para a atleta. Em 2018, o técnico com quem trabalhou boa parte da carreira, Tide, morreu e ela ainda ficou sem clube no Brasil. Em julho do mesmo ano, na França, fez o melhor salto da carreira, chegando aos 14m69, e se colocou entre as três melhores do mundo. Depois, lesões e problemas físicos a tiraram das competições por um ano. Núbia se mudou para a Espanha, foi treinar com o cubano Ivan Pedroso, ao lado da campeã mundial Yulimar Rojas, da Venezuela, mas os saltos não correspondiam às expectativas criadas.

Núbia Soares. (Foto: Arquivo pessoal/reprodução).

Nunca deixando de acreditar em seu potencial, a prova realizada nesta terça-feira (29), era a última chance de Soares conseguir o índice olímpico para Tóquio, já que o período determinado pela World Athletics se encerrou no dia 27 de junho e na prova anterior ela havia ficado perto da marca durante o Campeonato Espanhol.

Em entrevista ao Globo Esportes, Núbia explicou que entrou como se fosse competir um um Troféu Brasil, um Sul-Americano, porque, segundo ela, gosta muito de estar com o pessoal do Brasil.

“Entrei como se fosse o melhor dia da minha vida. E acabou sendo um dos melhores dias da minha vida. Não deixei de acreditar em nenhum momento. O Ivan [Ivan Pedroso , treinador] também não deixou de acreditar, ele segurou na minha mão e disse: “Você vai fazer, você vai fazer”. Chegamos aqui e fizemos”, disse Núbia após realizar a prova.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄