fbpx

Lagoa da Prata sedia lançamento do livro “Histórias que vivi na História”

Jornalista, político e escritor mineiro, Nilmário Miranda veio à Lagoa da Prata lançar autobiografia que é o quinto livro de sua carreira.

João Alves


O Teatro Fausto Rezende, em Lagoa da Prata, sediou ontem (22/09) o lançamento do livro “Histórias que vivi na História”, do jornalista e político mineiro Nilmário Miranda. A autobiografia é o quinto livro de sua carreira que contém, dentre outros, o ensaio “Dos filhos deste solo: mortos e desaparecidos políticos durante a ditadura militar: a responsabilidade do Estado”, livro que escreveu conjuntamente com Carlos Tibúrcio e que diz ser o seu preferido.

O evento contou com a presença da Presidente da Câmara Municipal, Carol Castro (PSB), da Diretora da Academia Lagopratense de Letras (Acadelp), Cássia Caryne de Castro, e do Secretário Municipal de Cultura, Daniel Du Bell. Logo no início, o público desfrutou do talento musical de “Vilminha e Gilmar”, do grupo Acadelp em Seresta, que aqueceram o público para a grande atração da noite: o relato em primeira pessoa de uma importante testemunha da história política do país. 

 


“Receber o jornalista Nilmário Miranda, figura política de grande relevância é um prazer. Poder prestigiar o lançamento do seu livro em nossa cidade mostra como estamos ligados com um ambiente de diversidade de ideias, concordando com elas ou não. Poder ouvir e fazer parte de ambientes que proporcionam o debate público e político, é poder e saber construir outros ambiente democráticos.” – Secretário Municipal de Cultura Daniel Du Bell

 

Fonte: Jornal Cidade (Divulgação)

 

Relatos de uma memória que se mistura com a história da conquista dos direitos sociais do país

Nilmário Miranda é dono de uma respeitável carreira em Brasília, tanto no legislativo, quanto no executivo. Auxiliou por quase duas décadas em assuntos que impactaram diretamente o cotidiano dos brasileiros e esteve nos bastidores de momentos decisivos para a política do país. No entanto, deixando de lado o seu legado próprio, escolheu para o início de sua fala comentar sobre o homem que deu nome a sua cidade natal, Teófilo Otoni, no norte de Minas Gerais. Homem de ideais nobres que lutou, durante o século XIX, contra a escravidão e o latifúndio. Considerando as demais falas do autor, talvez seja esta a história que o inspirou a construir as demais histórias que ilustram o livro.

Inspiração que parece perseverar pelo tempo. Embora Nilmário esteja com 74 anos, dos quais mais de 50 são dedicados à luta política, é com o espírito de um jovem orientado por heróis e ideias nobres que ele dá sequência a sua biografia.

Fonte: Facebook (Reprodução)

Até os momentos difíceis, como quando foi preso durante a ditadura militar – o autor, inclusive, brinca com o fato de sua primeira prisão, em 67, ter sido motivada pela distribuição de um panfleto mimeografado, prática que há muito caiu em desuso – são narrados como se fizessem parte de um propósito maior. Uma memória da qual o autor certamente se orgulha foi a de quando se tornou o primeiro a ocupar o cargo da recém-criada Secretaria Especial dos Direitos Humanos, em 2003. Lembra que, na mesma época, foram criadas Secretarias também para a Igualdade racial e a Secretaria de Políticas para as Mulheres. O período que começa com a promulgação da Constituição cidadã, em 88, até a criação das secretarias especiais, é considerado por Nilmário como a “época de ouro dos direitos humanos”.

Essa expressão, aliás, foi a palavra-chave de toda a sua apresentação. Antes de um jornalista, um escritor ou um político, Nilmário se declara um defensor dos direitos humanos, tais como o direito à liberdade de expressão, ao acesso à cultura e à educação e o fim das opressões como o racismo, o sexismo e a homofobia. O jornalista aproveitou a visita à cidade para visitar a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), modelo de recuperação de condenados oposto aos presídios tradicionais e que tem como base o respeito aos Direitos Humanos.  O evento terminou com os agradecimentos da vereadora Carol Castro à presença de Nilmário na cidade. 

A recepção da cidade

O Jornal Cidade conversou com uma das integrantes da Acadelp, Cássia Caryne de Castro, sobre a importância da cidade sediar o lançamento de um livro de uma renomada figura pública. A acadêmica comentou que: “Foi com muita emoção e alegria que a Acadelp recebeu o Nilmário aqui hoje em Lagoa da Prata. Ele deu um depoimento muito realístico, muito bonito, muito ‘dele’, sobre a sua biografia e também sobre tudo que ele realizou enquanto sujeito da política. Foi uma noite memorável”. 

Fonte: Jornal Cidade/Divulgação.

 

O evento também impactou os demais espectadores. O lançamento contou com uma boa e diversificada audiência, especialmente para uma quarta-feira à noite, composta por moradores de diferentes idades e ocupações. Conta Luiza Lima, 24, ao final do evento que:

“No momento atual que a gente vive, falar sobre a história, não só a de uma pessoa ilustre como o Nilmário, mas da história do nosso país, já que a sua trajetória é essencialmente política, é muito importante. Foi ótimo.”

 

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄