Junho Violeta alerta sobre combate à violência contra a pessoa idosa

Junho Violeta alerta sobre combate à violência contra a pessoa idosa

O Dia Mundial de Conscientização de Violência Contra à pessoa idosa é marcado oficialmente pelo dia 15 de julho. Buscando dar mais visibilidade à data, o Jornal Cidade conversou com assessorias e entidade para saber sobre políticas públicas de qualidade de vida para os idosos adotadas por cada cidade.

Reportagem: Matheus Costa

Junho Violeta é um mês inteiro dedicado à proteção da pessoa idosa. Marcado pelo dia 15 de julho, o Dia Mundial de Conscientização de Violência Contra a Pessoa Idosa tem como objetivo criar uma consciência mundial, social e política, da existência da violência contra a pessoa idosa, além de, ao mesmo tempo, disseminar a ideia de não aceitá-la como normal. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa.

Segundo escreveu a Assessoria de Promoção e Igualdade Racial de Curitiba, o envelhecimento populacional é um fenômeno mundial. Só no Brasil, existem quase 20 milhões de pessoas idosas, as projeções apontam que em 40 anos esse percentual deve triplicar no país, aproximando-se de 29,7% da população. Em 2050 haverá duas vezes mais idosos do que crianças na sociedade brasileira. Envelhecer, hoje, é um direito social. O Estado tem a obrigação de permitir um envelhecimento saudável, em condições de dignidade e garantido por políticas públicas.

Dispõe sobre o Estatuto do Idoso, a Lei Nº 10.741/2003, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos. No Art. 2º diz que “O idoso goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando-se-lhe, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, para preservação de sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade”.

Pensando nisso, o Jornal Cidade entrou em contato com assessorias de algumas cidades da região para saber como anda as políticas públicas de qualidade de vida para os idosos adotadas por cada cidade da região.

A reportagem conversou com a enfermeira Maria Luiza Morais, coordenadora do Serviço de Obras Sociais (S.O.S) de Lagoa da Prata, que contou à redação que a casa recebe idosos em estado de violência doméstica ou até mesmo por negligência.

“Geralmente, esse pessoal vem encaminhado por ordem judicial por vizinhos que denunciam, às vezes a própria família faz a denúncia. Muitas das vezes, parentes procuram a gente solicitando a vaga, mas às vezes o filho depende da aposentadoria do pai ou da mãe idosa, e por causa dessa dependência afetiva, escolhem não vir e preferem ficar no seu domicílio sendo negligenciado, às vezes sendo até mal tratado pelo filho. Nesse caso, não podemos receber se a pessoa não quer vir, se ela não tem um responsável que assine a responsabilidade pela internação, e aí encaminham para o judiciário onde o juiz encaminha um mandato que obriga o idoso a vir mesmo ele não querendo. Não é muito comum, mas sempre tem um caso ou outro”, contou Maria Luiza.

A coordenadora ainda disse que a casa faz atividades com os idosos todos os dias na parte da manhã e da tarde, como ginástica e artesanato.

“Mas isso depende muito do que eles conseguem fazer por ser um grupo muito debilitado”, disse ela.

Por causa da pandemia do coronavírus, a casa está precisando de doações nesse momento tão difícil. Àqueles que se interessarem basta ir no endereço Avenida Isabel de Castro, 327, Centro.

Foto: Maria Luiza Morais, coordenadora do S.O.S/Divulgação.
Foto: Maria Luiza Morais, coordenadora do S.O.S/Divulgação.
Foto: Maria Luiza Morais, coordenadora do S.O.S/Divulgação.

Conforme dito ao JC pela assessoria de Japaraíba, a Secretaria Municipal de Políticas Sociais disponibiliza aulas de ginástica, atividades de recreação e aulas de forró para pessoas da maior idade. Além de viagens para comemorar o dia do idoso e o arraiá do idoso.

A prefeitura reforça que as atividades estão suspensas devido à pandemia da Covid-19.

A Prefeitura de Santo Antônio do Monte informou que os Centros de Referência de Assistência Social (Cras), desenvolviam diversas atividades para os idosos do município. Entre as ações desenvolvidas estão: aulas de violão; Grupo de Plantas medicinais, uma vez por semana; aula de ginástica, duas vezes por semana; aula de artesanato; música na praça, passeios na prainha de Lagoa da Prata; cursos de geração de renda; passeios no Lar Vicentino para roda de viola; sessão cinema, além das comemorações temáticas, como Carnaval, Dia da Mulher, Festa Junina e Semana do Idoso.

Pela Secretaria Municipal de Educação são oferecidas aulas gratuitas de hidroginásticas. Mas, infelizmente, as atividades estão suspensas por causa da pandemia do coronavírus.

Tipos de Violência

Os maus-tratos contra os idosos são determinados de acordo com a situação a eles imposta, como:

Violência Física

A violência doméstica, quando é manifestada de forma física, geralmente é utilizada para sujeitar os idosos a realizarem algo que não desejam, causar por diversos motivos, ferimentos e lesões que podem gerar a morte, devido à fragilidade física que, comumente, fazem parte de suas estruturas corpóreas.

Violência Psicológica

As ações de restrição da liberdade de locomoção, convívio social ou simplesmente a negação aos seus hábitos de lazer e diversão são considerados como um ataque à saúde mental da pessoa idosa e, consequentemente, como uma forma de violência psicológica. Muitas vezes, as pessoas agem desta forma contra os idosos devido às “dificuldades” (falta de tempo, dinheiro, paciência), em acompanhá-los nestes eventos.

Abuso Financeiro ou Material

É uma das ações mais praticadas pelos membros da família, devido aos problemas de locomoção ou de incapacidades psíquicas de controlarem os seus rendimentos e patrimônio. Os idosos passam a ter as suas economias e benefícios previdenciários apropriados por outros, constituindo em uma exploração ilegal e indevida.

Abuso sexual

A violência sexual, praticada contra os idosos pode ser de caráter hétero (sexo oposto) ou homo (mesmo sexo) e incluem a relação sexual ou práticas eróticas por meio de aliciamento, violência física ou ameaças sem o consentimento do idoso.

Negligência

É a omissão ou a negação em fornecer assistência básica que os idosos necessitam em sua vida, por parte dos seus responsáveis (Família ou instituição). Este ato é mais comumente praticado ao idoso que se encontra em situação de dependência do outro, possui limitações ou incapacidades físicas, psíquicas ou emocionais.

Abandono

Este tipo de violência está se tornando muito comum nos dias de hoje, o acúmulo de funções e atribuições da vida social e profissional que os familiares do idoso, em sua vida ativa e produtiva se encontram é a principal “desculpa” para que as pessoas se ausentem dos idosos.

Os agressores também tratam os idosos de forma hostil por não entenderem ou não terem paciência em ouvir o que os idosos querem dizer, muitas vezes os idosos contam histórias repetidas ou “inventam” algo, o que é produzido por sua mente confusa.

Netwise

Como denunciar

As denúncias de violência contra idosos podem ser feitas pelo Diques 100, que funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel, bastando discar 100.

► DEIXE ABAIXO SEU COMENTÁRIO ◄